Glândula sericígena

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Glândulas sericígenas de uma aranha, o grupo taxonómico onde estas glândulas atingem maior diversidade e desenvolvimento.

Glândula sericígena é um tipo especializado de glândula destinado a produzir os elementos constituintes dos biopolímeros que dão origem à seda. Ocorre nas aranhas, nas quais produz os compostos que produzem a seda de aranha, em larvas de insectos, nomeadamente nas lagartas de diversos lepidópteros (entre as quais o bicho-da-seda[1]) produtores de casulos e ainda em adultos de algumas espécies de insectos, nomeadamente os da ordem Embioptera.

Descrição[editar | editar código-fonte]

As glândulas sericígenas são glândulas pluricelulares do tipo merócrino, secretando as proteínas e outros compostos que são utilizados na produção da seda, incluindo as substâncias adjuvantes que lhe dão viscosidade, pigmentação e modificam as suas propriedades mecânicas.

Este tipo de glândula assume a sua maior diversidade e especialização nas aranhas, que apresentam diversos tipos de glândulas especializadas, cada qual capaz de produzir autonomamente um tipo de seda ou de substância adjuvante, situando-se no opistossoma e terminando em aberturas especializadas denominadas fieiras. Nos insectos, as glândulas são em geral de um único tipo, situadas nos apêndices torácicos, terminando em fieiras simples.

Notas

Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.