Gran Telescopio Canarias

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Gran Telescopio Canarias
GranTeCan Mosaic.jpg
O interior do telescópio gigante.
Informações gerais
Organização Instituto de Astrofísica das Canárias, Universidade da Flórida, Universidade Nacional Autónoma de México Edite no Wikidata
Tipo de telescópio telescópio óptico, telescópio Ritchey-Chrétien, Segmented mirror Edite no Wikidata
Lançamento 13 de julho de 2007 Edite no Wikidata
Páginas Web www.gtc.iac.es
Informações do telescópio
Localização atual La Palma, Garafía, Espanha Editar isso no Wikidata
Coordenadas 28°45′24″N 17°53′31″O / 28.75661°N 17.89203°O / 28.75661; -17.89203Coordenadas: 28°45′24″N 17°53′31″O / 28.75661°N 17.89203°O / 28.75661; -17.89203
Altitude 2,267 m (2,267 m)
Diâmetro 10.4 m (6.1 sm)
Construido 2002–2008
Área de alcance 78.54 m2 (78.54 m2)
Distância focal 169.9 m (169.9 m)
Base da montagem montagem altazimutal
Instrumentos

Gran Telescopio Canarias, também conhecido como GRANTECAN ou GTC, é o maior telescópio e de tecnologia mais avançada do mundo[1], construído sob a direção do Instituto de Astrofísica de Canarias, no sítio astronômico conhecido como Observatorio del Roque de los Muchachos, próximo a um vulcão extinto na ilha de La Palma, Ilhas Canárias, Espanha.

Com um espelho refletor de 10,3 metros de diâmetro, o telescópio, que levou sete anos para ser construído a um custo de 130 milhões de euros, situa-se a 2267 m de altura, num dos melhores locais do mundo para a observação astronômica, pelas condições de tempo sempre claro e sua altitude acima das nuvens. O projeto empregou mais de mil homens e cem empresas em sua construção, desde o início de seu planejamento, em 1987, por uma cooperativa de empresas da Espanha, México e da Universidade da Flórida[2].

O telescópio foi inaugurado formalmente pelos reis da Espanha em 24 de julho de 2009[3]. Os astrônomos europeus esperam que o GTC possa proporcionar um maior conhecimento sobre os buracos negros, exoplanetas, estrelas e galáxias mais distantes do universo, e que realize importantes avanços em todos os campos da Astrofísica.

Dados técnicos[editar | editar código-fonte]

O Gran Telescopio, que fez suas primeiras observações experimentais em 2007 com metade da capacidade agora inaugurada[4], recebe a luz vinda do espaço em seu gigantesco espelho refletor, segmentado através de 36 peças hexagonais de vidro e cerâmica, totalmente controladas por um recém-desenvolvido sistema de controle chamado de 'ativo-ótico', que faz com que todas as peças trabalhem juntas como um único vidro refletor. Essas peças têm 1,90 m entre os vértices, espessura de 8 cm e massa de 470 kg cada uma.

Com esta qualidade de equipamento ótico, o GTC tem um poder de visão e luminosidade equivalente a quatro milhões de pupilas humanas, podendo distinguir com precisão os faróis de um automóvel situado a vinte mil quilômetros do ponto de observação, a mesma que separa a Espanha da Austrália[3].

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «New telescope is world's largest ... for now - Space- msnbc.com». www.msnbc.msn.com. Consultado em 25 de julho de 2009 
  2. «The Associated Press: Huge telescope opens in Spain's Canary Islands». www.google.com. Consultado em 25 de julho de 2009 
  3. a b «Los Reyes inauguran el mayor telescopio del mundo en la isla de La Palma». www.elmundo.es. Consultado em 25 de julho de 2009  Texto " Ciencia " ignorado (ajuda); Texto " elmundo.es " ignorado (ajuda)
  4. «Tests begin on Canaries telescope». news.bbc.co.uk. Consultado em 25 de julho de 2009 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]