Haaretz

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Haaretz
Haaretz
Haaretz
Periodicidade 1 dia
Formato Berlinense
Sede Tel Aviv
País Israel
Fundação 1919
Proprietário Salman Schocken, DuMont Media Group, Leonid Nevzlin
Editora Amos Schocken
Editor Aluf Benn
Política esquerda
Idioma hebraico moderno, língua inglesa, língua hebraica
oclc 32481488, 220588591
Site https://www.haaretz.com/, https://www.haaretz.co.il/

Haaretz (em hebraico: הארץ, literal "A Terra", "O País") é um jornal diário israelense, fundado em 1919 em Jerusalém.[1] É publicado em hebraico, com uma versão condensada publicada em inglês como anexo à edição do International Herald Tribune distribuida em Israel. Tem também uma página de Internet em hebreu e em inglês.[2]

A linha editorial foi definida por Gershom Gustav Schocken [en],[3] que foi editor-chefe entre 1939 e 1990.[4] O Haaretz pertence à família Schocken. Os actuais editores chefe são David Landau [en][5] e Tami Litani,[6] que susbtituiram Hanoch Marmari [he] e Yoel Esteron [en] em Abril de 2004.

Em comparação com outros jornais diários em hebraico, como o Maariv e o Yediot Aharonot, o Haaretz é de gama alta, com artigos mais longos, letra mais pequena, menos imagens e secções diárias sobre ciência e literatura. As suas visões sobre o conflito israelo-palestiniano tendem a ser esquerdistas e seculares.[7][8][9]

Referências

  1. Marmari, Hanoch (16 de abril de 2004). «A Fine and Fragile Balance» [Um Equilíbrio Fino e Frágil]. Haaretz (em inglês). Consultado em 2 de janeiro de 2023. In its first three years, when it was based in Jerusalem, from 1919 to 1922, the paper was headed by a succession of people. 
  2. Haaretz (16 de julho de 2001). «The Herald Tribune–Ha'aretz Is Available at the Following Fine Hotels». Haaretz (em inglês). Consultado em 2 de janeiro de 2023 
  3. Peri, Yoram (2004). Telepopulism: Media and Politics in Israel (em inglês). [S.l.]: Stanford University Press. p. 75. ISBN 9780804750028. Similarly, Haaretz, although independent, had a distinctly liberal (though nonpartisan) character. It is not surprising that its editor, Gershom Schocken, was a representative of the Progressive Party in the third Knesset in the years 1955–59. 
  4. Amos Schocken (18 de setembro de 2002). «A Newspaper's Mission» [A missão de um jornal]. Haaretz (em inglês). Consultado em 2 de janeiro de 2023 
  5. Stephen Glain (6 de setembro de 2007). «Ha'aretz, Israel's Liberal Beacon» [Ha'aretz, farol liberal de Israel]. The Nation (em inglês). Consultado em 2 de janeiro de 2023 
  6. Haaretz (25 de dezembro de 2008). «תמי ליטני, סגנית עורך "הארץ", החליטה לסיים את תפקידה» [Tami Litani, vice-editora do Haaretz, decidiu encerrar seu cargo]. Haaretz (em hebraico). Consultado em 2 de janeiro de 2023 
  7. «Israeli media vents fury at Likud». BBC News (em inglês). 17 de dezembro de 2002. Consultado em 2 de janeiro de 2023 
  8. «Sharon orders Gaza pullout plan». BBC News (em inglês). 2 de fevereiro de 2004. Consultado em 2 de janeiro de 2023. Mr Sharon, previously viewed as a champion of settlers, first revealed his intentions for Gaza in an interview with the left-wing Haaretz newspaper. 
  9. «Israeli authors urge ceasefire talks with Hamas». Reuters (em inglês). 24 de setembro de 2007. Consultado em 2 de janeiro de 2023. Arquivado do original em 6 de outubro de 2014