Heurística de disponibilidade

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Pode encontrar ajuda no WikiProjeto Psicologia.

Se existir um WikiProjeto mais adequado, por favor corrija esta predefinição.

A heurística de disponibilidade é um fenómeno (que pode resultar num viés cognitivo) no qual as pessoas predizem a frequência de um evento, ou a proporção de uma população, baseando-se no quão fácil se conseguem lembrar de um exemplo.

Esse fenómeno foi inicialmente descrito pelos psicólogos Amos Tversky e Daniel Kahneman, que também identificaram a heurística de representatividade.

Introdução[editar | editar código-fonte]

A heurística é o ato de substituir a resposta de uma pergunta complexa, pela resposta de uma pergunta relacionada, porém, mais simples. A heurística da disponibilidade é definida por dois aspectos. - Quantidade de fatos lembrados - Facilidade de puxa-los da memória ou fluência. Por exemplo: Se você é perguntado o quão assertivo é, tem uma base intuitiva da resposta, embora não tenha calculado de nenhuma forma, agora é pedido que você liste 6 vezes em que foi assertivo, não foi uma tarefa tão difícil, você teve facilidade de lembrar das vezes que foi assertivo, agora se tivessem lhe pedido para listar 12 vezes, você sentiria dificuldade em lembrar de tantas vezes que foi assertivo, a sua fluência seria baixa, o que levaria a pensar que é menos assertivo do que realmente é.

Outro aspecto dessa heurística é dificuldade de julgar a frequência de acontecimentos.

Ícone de esboço Este artigo sobre psicologia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.