Histieu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Histieu, filho de Liságoras, foi um tirano de Mileto quando esta cidade pertencia ao Império Aquemênida.[1]

Em 504 a.C.,[2] Histieu foi para Susa, se encontrar com Dario, e deixou, como governador de Mileto, Aristágoras, filho de Molpágoras. Aristágoras era seu genro e primo.[1]

Foi durante a ausência de Histieu que Aristágoras recebeu a visita de alguns cidadãos ricos, exilados da ilha de Naxos, que pediram sua ajuda.[1] Aristágoras e Artafernes, irmão de Dario, planejaram a conquista das Cíclades.[3]

Em 503 a.C.,[4] Aristágoras atacou Naxos, mas após quatro meses de cerco, sem sucesso, desistiu da expedição.[5] No ano seguinte,[6] Aristágoras, com medo de perder sua posição em Mileto por causa do fracasso, começa a planejar a revolta jônica; neste momento ele recebe uma mensagem secreta de Histieu, para que ele se revoltasse contra os persas.[7]

Em 500 a.C.,[8] assim que soube que Sardes havia sido queimada pela revolta,[9] Dario convocou Histieu, e acusou Histieu de ter colocado em Mileto uma pessoa que havia causado a revolta. Histieu negou que tivesse qualquer relação com a revolta, e pediu para ser enviado de volta à Jônia, para tentar conter a revolta.[10]

Em 499 a.C.,[11] Histieu chegou a Sardis, e foi acusado, por Artafernes, de ter sido o mentor da revolta.[12] Histieu fugiu para Quios, foi preso pelos cidadãos mas logo liberado.[13] Com o apoio de Quios, Histieu tentou voltar a ser tirano de Mileto, mas estes, que já haviam expulsado Aristágoras, não queriam perder a liberdade, e Histieu, ferido, voltou a Quios.[14] No ano seguinte,[15] ele foi a Mitilene, conseguiu oito navios, e foi a Bizâncio, capturar navios mercantes.[14]

Em 497 a.C., Mileto foi capturada pelos persas e destruída.[16] Histieu, que estava cercando Tasos, retornou para Lesbos, porém teve que lutar contra o persa Harpago, que o derrotou.[17] Histieu, ao ver suas forças sendo derrotadas, falou em persa quem ele era, e se rendeu,[18] na esperança de ser perdoado por Dario.[19] Artafernes, porém, o crucificou [Nota 1] e enviou sua cabeça da Dario, que ficou contrariado, porque queria tê-lo recebido vivo.[19]

Notas e referências

Notas

  1. Algumas traduções de Heródoto trazem a forma de execução como empalamento.

Referências

  1. a b c Heródoto, Histórias, Livro V, Terpsícore, 30 [pt] [el] [el/en] [ael/fr] [en] [en] [en] [es]
  2. James Ussher, The Annals of the World 504 BC [em linha]
  3. Heródoto, Histórias, Livro V, Terpsícore, 31 [pt] [el] [el/en] [ael/fr] [en] [en] [en] [es]
  4. James Ussher, The Annals of the World 503 BC
  5. Heródoto, Histórias, Livro V, Terpsícore, 34 [pt] [el] [el/en] [ael/fr] [en] [en] [en] [es]
  6. James Ussher, The Annals of the World 502 BC
  7. Heródoto, Histórias, Livro V, Terpsícore, 35 [pt] [el] [el/en] [ael/fr] [en] [en] [en] [es]
  8. James Ussher, The Annals of the World 500 BC
  9. Heródoto, Histórias, Livro V, Terpsícore, 105 [pt] [el] [el/en] [ael/fr] [en] [en] [en] [es]
  10. Heródoto, Histórias, Livro V, Terpsícore, 106 [pt] [el] [el/en] [ael/fr] [en] [en] [en] [es]
  11. James Ussher, The Annals of the World 499 BC
  12. Heródoto, Histórias, Livro VI, Erato, 1 [pt] [el] [el/en] [ael/fr] [en] [en] [en] [es]
  13. Heródoto, Histórias, Livro VI, Erato, 2 [pt] [el] [el/en] [ael/fr] [en] [en] [en] [es]
  14. a b Heródoto, Histórias, Livro VI, Erato, 5 [pt] [el] [el/en] [ael/fr] [en] [en] [en] [es]
  15. James Ussher, The Annals of the World 498 BC
  16. James Ussher, The Annals of the World 497 BC
  17. Heródoto, Histórias, Livro VI, Erato, 28 [pt] [el] [el/en] [ael/fr] [en] [en] [en] [es]
  18. Heródoto, Histórias, Livro VI, Erato, 29 [pt] [el] [el/en] [ael/fr] [en] [en] [en] [es]
  19. a b Heródoto, Histórias, Livro VI, Erato, 30 [pt] [el] [el/en] [ael/fr] [en] [en] [en] [es]