Histona acetiltransferase

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

As histona acetiltransferases são enzimas que acetilam resíduos conservados de lisina em histonas, através da transferência de um grupo acetil da Coenzima A, formando-se ε-N-acetillisina. O ADN está por histonas, e por transferência de um grupo acetil para estas, os genes podem ser activados ou desactivados. A acetilação das histonas aumenta a expressão genética.

De maneira geral, a acetilação de histonas está ligada à activação transcricional e associada à eucromatina. Quando descoberta pela primeira vez, julgava-se que a acetilação da lisina neutralizaria a carga eléctrica positiva normalmente presente, reduzindo assim a afinidade entre as histonas e o ADN negativamente carregado, tornando este mais acessível a factores de transcrição. Sabe-se que existem proteínas, por exemplo HATs Gcn5, PCAF, CCG1 e CBP, cujos bromodomínios conseguem fazer o reconhecimento de resíduos de lisina acetilados presentes em histonas. Esta relação entre os bromodomínios e as histonas promovem a estabilização do estado de acetilação, podendo também, ou em alternativa, regular factores cromatínicos.[1]

Esta enzima também pode acetilar proteínas não-histónicas, como factores de transcrição e recepores nucleares, facilitando a expressão genética.

Referências

  1. Hiroki Fukuda, Norihiko Sano, Shinsuke Muto, and Masami Horikoshi; Simple histone acetylation plays a complex role in the regulation of gene expression; Briefings in Functional Genomics and Proteomics (2006) 5 (3): 190-208 doi:10.1093/bfgp/ell032