Horace Greeley

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Horace Greeley
Horace Greeley, entre 1844 i 1860
Nascimento 3 de fevereiro de 1811
Amherst (Nova Hampshire)
Morte 29 de novembro de 1872 (61 anos)
Nova Iorque
Sepultamento Cemitério Green-Wood
Cidadania Estados Unidos
Progenitores
  • Zaccheus Greeley
Cônjuge Mary Cheney Greeley
Filho(s) Gabrielle Greeley Clendenin
Ocupação jornalista, político, editor, editor, executivo
Assinatura
Horace Greeley Signature.svg

Horace Greeley (3 de fevereiro de 181129 de novembro de 1872) foi um jornalista estadunidense e fundador do Partido Republicano.[1]

Foi um ferrenho crítico da escravidão e um dos maiores nomes do abolicionismo nos Estados Unidos, membro do Partido Whig entre 1847 a 1854, após a promulgação da Lei de Kansas-Nebraska que incentivava a expansão da escravidão para o Oeste e a entrada de novos "Estados escravocratas", ele como resposta, uniu-se junto com as antigas lideranças do Partido Whig como Abraham Lincoln, e juntos fundaram um novo partido, o Partido Republicano como uma forma de resposta à essa lei, esse partido se opunha à escravidão. Em 1860, o Partido Republicano lançou a candidatura de Abraham Lincoln que foi eleito presidente numa eleição bastante apertada e turbulenta, aquela foi uma das eleições mais turbulentas da história americana, a candidatura de Lincoln foi fortemente apoiada por Greeley, após a sua posse, Greeley constantemente incentivava Lincoln a abolir a escravidão e inclusive chegou a apresentar Frederick Douglass a Lincoln. Em 1862 com o objetivo de enfraquecer os confederados Lincoln aprovou a Lei de Emancipação dos Escravos que abolia definitivamente a escravidão em todos os estados dos Estados Unidos, após esse feito Greeley ficou muito feliz e o elogiou na tribuna de seu jornal, em 1864 ele apoiou a reeleição de Lincoln. Foi candidato à presidente em 1872 pela ala Liberal do Partido Republicano contra os "radicais republicanos" apoiados por Grant.[1] Ele concorreu sob uma plataforma moderada, em contraste com o "radicalismo" de Grant e seus apoiadores. Nunca chegou a ser um democrata, mas foi apoiado pelo partido Democrata, que viu sua candidatura como uma oportunidade de tentar voltar à Casa Branca; porém, logo após a eleição, Greeley faleceu em 29 de novembro de 1872 aos 61 anos de idade, ele morreu durante o sono em sua residência que ficava numa vila do Condado de Westchester no estado de Nova Iorque.[1] Naquele ano, o povo já tinha votado na eleição presidencial, mas o Colégio eleitoral não, por isso os delegados que se comprometeram a votar em Greeley acabaram migrando para seu companheiro de chapa e demais políticos democratas do sul, no final, dos 66 delegados que se comprometeram a votar em Greeley, apenas 3 votaram nele.[1][2] Essa foi a única vez que um candidato morreu poucas semanas após as eleições nos Estados Unidos.[1] Ele teve um funeral simples e foi enterrado no Cemitério Green-Wood, também foi do Autor da famosa frase "Go West, young man, go West" (Para o Oeste, meu jovem, para o Oeste).

Referências

  1. a b c d e Jr, Harold F. Bass (2019). Historical Dictionary of United States Political Parties (em inglês). Lanham: Rowman & Littlefield. pp. 138–139 
  2. Gomes, João Francisco (20 de dezembro de 2016). «EUA. O Colégio Eleitoral com mais 'infiéis' desde 1872 foi fiel a Trump». Observador. Consultado em 2 de fevereiro de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço relacionado ao Projeto Biografias. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.