ITER

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
ITER
ITER site 2018 aerial view (41809720041).jpg

Construção do ITER (Cadarache,
Bouches-du-Rhône, França, 2018).

Tipo
Science project (en), tokamak, megaproject (en)Visualizar e editar dados no Wikidata
Concepção
Data
Precedido por
Joint European Torus (en)Visualizar e editar dados no Wikidata
Utilização
Seguido por
DEMO (en)Visualizar e editar dados no Wikidata

International Thermonuclear Experimental Reactor - (ITER)[1] é um projeto de reator experimental a fusão nuclear baseado na tecnologia do Tokamak. O projecto ITER é uma experiência destinada a atingir a próxima fase na evolução da energia nuclear, como meio de gerar electricidade isenta de emissões.[2]

O ITER faz parte dos aparelhos de pesquisa fundamental no Reino Unido, nos EUA, na França e na Suíça,[3] e seus promotores estimam que há progressos em relação ao seu objetivo.[4]

O projeto é uma cooperação internacional envolvendo a República Popular da China, União Europeia (representada pela Euratom), Índia, Japão, Coreia do Sul, Rússia e Estados Unidos da América, sob o patrocínio da Agência Internacional de Energia Atômica (IAEA).

Princípio de funcionamento[editar | editar código-fonte]

ITER:
representação artística do setor toroidal

O ITER consiste em uma usina de fusão nuclear, que usa o hidrogênio operando a 100 milhões °C para produzir 500 MW de potência durante 20 minutos, através do processo de fusão nuclear.[5] Dessa maneira, em condições laboratoriais, são reproduzidas as reações de fusão nuclear que ocorrem no interior das estrelas, como o nosso Sol, em um processo denominado nucleossíntese estelar, o que o faz ser uma das tecnologias do futuro para geração de energia elétrica renovável, limpa e barata.

Diante dos atuais reatores nucleares baseados na fissão, os reatores termonucleares são absolutamente seguros, pois em caso de uma avaria, como a que ocorreu em Chernobil, a reação termonuclear é suspensa em milésimos de segundo. Ao contrário das atuais centrais nucleares, os reatores termonucleares não produzem resíduos radioativos nocivos, apenas liberam hélio, um gás inerte e inofensivo.

Construção[editar | editar código-fonte]

Participantes do projeto ITER

O local já está em construção, localizado em Cadarache (Bouches-du-Rhône, França) e deverá ter sua primeira operação no ano de 2025.[5] Há mais de três anos o avanço do projeto ITER estava parado porque os seis países e organizações que o promovem não conseguiam chegar a um acordo sobre o lugar de sua construção. União Europeia, China e Rússia apoiavam a construção do reator na França, enquanto Estados Unidos, Coreia do Sul e Japão apostavam na cidade japonesa de Rokkasho Mura, ao norte do arquipélago. A Rosatom, agência russa para a energia atômica, explicou que o país onde será construído o reator deve assumir 50% das despesas de construção e exploração, enquanto os demais participantes aportam, cada um, 10% do custo do projeto, avaliado em 13000 milhões de dólares americanos.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Note que, em latim, iter significa o caminho.
  2. News, Nathanial Gronewold,E&E. «World's Largest Nuclear Fusion Experiment Clears Milestone». Scientific American (em inglês). Consultado em 1 de agosto de 2019 
  3. Centre de recherches en physique des plasmas (em inglês)
  4. Bilan énergétique et critère de Lawson (em francês)
  5. a b ARANTES, José Tadeu (5 de janeiro de 2018). «Modelo prediz cenários para geração de energia por meio da fusão nuclear». Agência FAPESP. Consultado em 5 de janeiro de 2018 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre ITER
Ícone de esboço Este artigo sobre engenharia (genérico) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.