Ibne Saíde Almagribi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ibne Saíde Almagribi
Nascimento 1213 (805 anos)
Alcalá la Real
Morte 1286
Túnis
Nacionalidade Alandalus
Etnia Mourisco
Progenitores Pai: Muça Ibne Saíde Almagribi
Ocupação Geógrafo, historiador, poeta e coletor de poemas
Religião Islamismo

Abu Haçane Ali ibne Muça Ibne Saíde Almagribi (em árabe: علي بن موسى المغربي بن سعيد; transl.: Abū al-Ḥasan ʿAlī ibn Mūsā ibn Saʿīd al-Maghribī; 1213 (805 anos)-1286),[1] também conhecido como Saíde Andalusino,[2] foi um geógrafo, historiador, poeta e o mais importante coletor de poesia do Alandalus nos séculos XII e XIII.

Vida[editar | editar código-fonte]

ibne Saíde nasceu em Alcalá la Real próximo de Granada no seio duma proeminente família cujos membros eram literatos, e cresceu em Marraquexe. Ele subsequentemente estudou em Sevilha e ficou em Túnis, Alexandria, Cairo, Jerusalém e Alepo. Aos 30 anos, realizou uma peregrinação para Meca. Ele também era um íntimo amigo do poeta muladi ibne Moconde, o Lixbonim (de Lisboa). Seus últimos anos foram gastos em Túnis, onde morreu em 1286.[3]

Escritos[editar | editar código-fonte]

Excerto do capítulo sobre Vilhena no Livro do Magrebe no qual o poeta Abul Haçane Raxide ibne Solimão é mencionado

Ibne Saíde Almagribi escreveu ou compilou ao menos 40 obras em vários ramos do conhecimento. Sua realização melhor conhecido foi a conclusão da obra em 40 volumes O Livro Extraordinário sobre Adornos do Ocidente (al-Mughrib fī ḥulā l-Maghrib), que foi iniciado um século antes por Abu Maomé Alhijari (1106-1155) a mando do bisavô de ibne Saíde, Abdal Malique. Abu Maomé Alhijari completou 6 volumes; Abdal Malique e seus filhos (o avô e tio avô de ibne Saíde), bem como o pai de ibne Saíde adicionaram mais alguns volumes, enquanto ele concluiu a obra.[4]

Parte de seu trabalho circulou separadamente como Bandeiras dos Campeões e os Estandartes dos Distintos (Rāyāt al-mubarrizīn wa-ghāyāt al-mumayyazīn), que ibne Saíde compilou no Cairo, completando-a em 21 de junho de 1243 (641 A.H.).[4] É, nas palavras de Louis Cromption, "talvez a mais importante" das várias antologias poéticas andalusinos medievais.[5] "Seu objetivo na compilação parece ter sido mostrar que poesia produzida no Ocidente foi tão boa quanto qualquer coisa que o Oriente tinha a oferecer (e que o séquito de ibne Saíde e sua família foi especialmente boa)".[6]

Como um viajante infatigável, ibne Saíde era profundamente interessado em geografia. Em 1250, escreveu seu O Livro da Extensão da Terra em Longitudes e Latitudes (Kitab bast al- ard fi 't -t ul wa-'l-'ard). Sua Geografia (Kitab al-Jughrafiya) corporifica a experiência de suas extensas viagens através do mundo muçulmano e nas costas do Oceano Índico. Ele também dá um relato de parte do norte da Europa incluindo a Irlanda e Islândia. Ele visitou a Armênia e esteve na corte de Hulagu Cã de 1256 a 1265.

Ele também escreveu uma história do Magrebe, que ao mesmo tempo inclui a Ibéria islâmica (Alandalus), chamada Livro do Magrebe (Al-Mugrib fī ḥulā al-Magrib). O livro é um meio caminho entre antologia poética e geografia, coletando informação sobre os poetas magrebinos organizada por origem geográfica.[7] Um exemplo dos próprios poemas de ibne Saíde, que ele incluiu no Bandeiras dos Campeões e os Estandartes dos Distintos, é "cavalo negro com um tórax branco".[8]

Referências

  1. Fernandes 2006, p. 12.
  2. Arberry 2001.
  3. Bellamy 1989, p. xxii.
  4. a b Bellamy 1989, p. xxi.
  5. Crompton 1997, p. 154.
  6. Irwin 1999, p. 301.
  7. Jan 1996.
  8. Gómez 1989, p. 69.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Arberry, A.J. (2001). Moorish poetry : a translation of the pennants, an anthology compiled in 1243 by the andalusian ibn sa'id. Surrey: Curzon. ISBN 978-0-7007-1428-5 
  • Bellamy, James A.; Steiner, Patricia Own (1989). Rāyāt al-mubarrizīn wa-ghāyāt al-mumayyazīn/The Banners of the Champions: An Anthology of Medieval Arabic Poetry from Andalusia and Beyond. Madison: Hispanic Seminary of Medieval Studies 
  • Crompton, Louis (1997). «Male Love and Islamic Law in Arab Spain». In: Murray, Stephen O.; Roscoe, Will. Islamic Homosexualities: Culture, History, and Literature. Nova Iorque: New York University Press. p. 142-58 
  • Fernandes, Maria Alice (2006). A Viagem de ibne Ammar de São Brás a Silves. Tavira: Associação Campo Arqueológico de Tavira 
  • Gómez, Emilio García (1989). Cola Franzen, ed. Poems of Arab Andalusia. São Francisco: City Lights Books. ISBN 978-0-87286-242-5 
  • Irwin, Robert (1999). The Penguin Anthology of Classical Arabic Literature. Harmondsworth: Penguin. p. 301