Igreja de Nossa Senhora da Escravidão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações (desde julho de 2013). Ajude a melhorar este artigo inserindo fontes.
Igreja de Nossa Senhora da Escravidão
Fachada da igreja
Estilo dominante barroco
Fim da construção 1743
Religião católica
Geografia
País Flag of Spain.svg Espanha
Região Galiza
Local Cruces, Padrón
Coordenadas 42° 47' 2.5" N 8° 38' 59" O

A Igreja de Nossa Senhora da Escravidão (em galego: Igrexa da Nosa Señora da Escravitude), também conhecido como Santuário da Escravitude é um templo mariano situado na aldeia de Escravitude, na paróquia civil de Santa María de Cruces, município (concello em galego) de Padrón, Galiza. A igreja faz parte do Caminho Português de Santiago.

História[editar | editar código-fonte]

Segundo a tradição, dois eventos determinaram a construção do santuário. O primeiro deu-se em 1582, quando Juan Pérez Mondragón, reitor da paróquia de Cruces estve a ponto de morrer esmagado por uma árvore. Ao salvar-se, como sinal de agradecimento a Nossa Senhora, mandou esculpir uma imagem da Virgem com o Menino, que foi colocada sobre uma fonte que havia no lugar, conhecida desde então como Fonte Santa.

O segundo evento teve lugar em 1732, quando um salnesão que padecia de hidropisia se dirigia com a sua mulher e filha para o hospital de Santiago de Compostela. Ao passar pela Fonte Santa, bebeu a sua água e pediu ajuda à Virgem, curando-se ao fim de três dias da sua doença. Segundo a lenda ele agradeceu alto à Virgem por tê-lo curado da "escravidão" do seu mal, o que deu origem ao nome do santuário. Em sinal de gratidão, o homem doou o carro e os bois. Ao espalhar-se a notícia, a fonte começou a atrair devotos em busca de cura, o que trouxe consigo o aumento das doações.

Com essas doações foi construída uma capela onde se colocou a imagem, chamada já Nossa Senhora da Escravidão e com o passar do tempo ampliou-se o edifício até se chegar à atual igreja. O documento notarial da pintura do retábulo-mor data a finalização das obras em 1743. Em 1885, graças ao financiamento de um galego que enriquecera na América, foi construída uma segunda torre simétrica à que já tinha a igreja em 1743, ficando esta com o aspeto que tem hoje.

Notas e bibliografia[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Igreja de Nossa Senhora da Escravidão


Ícone de esboço Este(a) artigo sobre capela, igreja ou catedral é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.