Instituto Ahmed Baba

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Instituto Ahmed Baba
Instituto Ahmed Baba
Arquiteto Arquiteto sul-africano
Fim da construção 2009
Inauguração 2009
Geografia
País Mali
Cidade Timbuctu
Coordenadas 51° 48' 47" N 2° 42' 42" O

O Instituto Ahmed Baba, oficialmente Instituto Ahmed Baba de Ensino Superior e Pesquisa islâmica, é uma biblioteca e centro de pesquisa em Tombuctu, no Mali. O centro foi fundado em 1973, com financiamento principalmente do Cuaite.[1] Ele foi nomeado em homenagem ao estudioso do século XVII Amade Baba.[2]

Construção[editar | editar código-fonte]

O atual edifício foi projetado por um arquiteto sul-africano e foi concluído em 2009, custando cerca de 5,8 milhões de euros. Possui uma área de 4 600 metros quadrados e inclui um sistema de ar condicionado para a boa conservação dos manuscritos alojados, bem como um sistema de extinção de incêndios automático. Ele substituiu um edifício de 40 anos de idade, em ruínas.[3]

Manuscritos[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Manuscritos de Tombuctu
Os manuscritos de matemática e astronomia

O centro tem cerca de 20 000 manuscritos cobrindo a história do Mali, incluindo o História do Sudão (Tarikh al-Sudan). A maioria dos manuscritos são dos séculos XIV a XVI e escritos em árabe, mas outros estão em línguas locais, como o mandinga, songai, tuaregue[4] e bambara, ou mesmo em outras mais distantes, como o turco e o hebraico, com temas cobrindo astronomia, poesia, medicina, literatura e direito islâmico. Um programa para digitalizar os manuscritos está em curso, dirigida pela Noruega e pelo Luxemburgo sob a supervisão da UNESCO, com apenas uma fração do espólio a ter sido digitalizado.[3][2]

Incêndio criminoso[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Conflito no norte do Mali

Em 28 de janeiro de 2013, quando as tropas francesas e malianas recapturaram o aeroporto de Tombuctu, extremistas islâmicos, que seguem uma rígida interpretação do islamismo, incendiaram o prédio do instituto[5] que vinham usando como alojamento.[2] Felizmente, a grande maioria dos itens de uma das mais preciosas coleções de antigos manuscritos encontrava-se escondida em outro lugar.[5][6]

Notas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Ahmed Baba Institute of Higher Learning and Islamic Research (IHERI-AB)». Consultado em 12/07/2016. 
  2. a b c Harding, Luke (28 janeiro 2013). «Timbuktu mayor: Mali rebels torched library of historic manuscripts». The Guardian. Consultado em 28 janeiro 2013. 
  3. a b Walker, Peter (28 janeiro 2013). «Timbuktu library is treasure house of centuries of Malian history». The Guardian. Consultado em 28 janeiro 2013. 
  4. Lydia Polgreen (7 agosto 2007). «Timbuktu Hopes Ancient Texts Spark a Revival». NYT. 
  5. a b Ass. Press (5 fevereiro 2013). «People of Timbuktu save manuscripts from invaders» (em inglês). Consultado em 5 fevereiro 2013. 
  6. «Fleeing Islamists burn priceless Timbuktu library». twitterfeed. Consultado em 29 janeiro 2013.