Instituto de Física e Tecnologia de Moscou

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Instituto de Física e Tecnologia de Moscou
Московский Физико-Технический институт (национальный исследовательский университет)
Moscow_Institute_of_Physics_and_Technology_logo.jpg
MIPT
Fundação 1946
Tipo de instituição Pública
Localização Dolgoprudny, Moscou, Jukovski, Moscou
Reitor(a) Nikolay Kudryavtsev[1]
Total de estudantes 5077
Graduação 3319
Pós-graduação 1758
Página oficial phystech.edu

Instituto de Física e Tecnologia de Moscou (MIPT) (em russo: Московский Физико-Технический институт) é uma das maiores instituições educacionais da Rússia. Os maiores cientistas russos e projetistas propuseram um modelo de aprendizado diferenciado, o “Sistema Phystech”, que baseia-se na integração entre academia, ciência e indústria. Por mais de 70 anos, o proeminente “Sistema Phystech” formou milhares de estudantes de alto gabarito além de diversos cientistas que assumiram posições dominantes na comunidade científica internacional e receberam reconhecimento mundial. [2]

Assim o MIPT é sinônimo de educação de alta qualidade e demanda de pós-graduação. Há 10 ganhadores do Prêmio Nobel no rol de ilustres ex-alunos do MIPT, bem como membros-chave da Academia Russa de Ciências.

História[editar | editar código-fonte]

No final de 1945 e início de 1946, um grupo de proeminentes cientistas da extinta União Soviética fez lobby junto ao governo pela criação de uma instituição de ensino superior com uma metodologia totalmente diferente do tipo estabelecido pelo sistema soviético de ensino superior. Os candidatos, cuidadosamente selecionados por exames desafiadores e entrevistas pessoais, seriam ensinados e trabalhariam em conjunto com cientistas de alto gabarito. [3]

Ex-alunos ilustres[editar | editar código-fonte]

Vencedores do Prêmio Nobel[editar | editar código-fonte]

  • Lev Landau - físico russo, Prêmio Nobel 1962.[4]
  • Pyotr Kapitsa - descoberto superfluidez, Prêmio Nobel de 1978.[5]
  • Nikolay Semyonov - mais conhecido por seu trabalho em reações em cadeia, Prêmio Nobel 1956 em química.[6]
  • Vitaly Ginzburg - físico vencedor do Prêmio Nobel 2003, co-desenvolvedor da bomba H soviética.[7]
  • Aleksandr Prokhorov - co-inventor do laser, Prêmio Nobel 1964.[8]
  • Sir Andre Geim - descobridor de grafeno, fita de lagartixa e sapos levitando; Membro da Royal Society, Prêmio Nobel de Física, 2010.[9]

Sir Konstantin Novoselov- Prêmio Nobel de Física para pesquisa de grafeno, 2010.[10]

Referências