Isabel Aretz

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Isabel Aretz-Thiele
Nascimento 14 de abril de 1909
 Argentina, Buenos Aires
Morte 2 de junho de 2005 (96 anos)
San Isidro
Nacionalidade Argentina
Cônjuge Luis Felipe Ramón y Rivera
Ocupação Compositora, música e professora universitária

Isabel Aretz-Thiele (Buenos Aires, 14 de abril de 1909San Isidro, 2 de junho de 2005), foi uma compositora, investigadora, escritora e etnomusicóloga argentina nacionalizada venezuelana.[1]

Prêmios e reconhecimentos[editar | editar código-fonte]

Por sua exitosa trajetória, recebeu o Prêmio Konex de Platina em 1999 como a mais importante musicóloga da década na Argentina, em 1989 havia obtido o Diploma ao Mérito do mesmo, colocando-a como uma das cinco mais importantes da história da Argentina. Em 1992 recebeu o Premio Internacional Gabriela Mistral.

Obra[editar | editar código-fonte]

Publicou 25 livros,[2] principalmente sobre folclore latinoamericano, e uma autobiografia. Entre sua obra como compositora, estão incluidas 10 obras para orquestra, sinfonias, obras sinfónico-corais, para piano, entre outras.

Entre os numerosísimos prêmios e reconhecimentos que recebeu incluem-se:

  • Na Venezuela: Orden Andrés Bello del Gobierno de Venezuela, Premio Nacional de Música "José Ángel Lamas".
  • Na Argentina: Primer Premio de Musicología del Fondo Nacional de las Artes, Académica emérita, Academia Argentina de la Música en 1999, "Maestra de Maestros", Universidad Católica de Valparaíso en 2000
  • Internacionales; Premio Internacional de Artes y Música "Gabriela Mistral", otorgado por la Organización de los Estados Americanos (OEA). Washington, EE. UU., Premio Internacional de Musicología "Robert Stevenson", por su trayectoria en la investigación etnomusicológica, Washington, EE.UU.

Obra musical parcial[editar | editar código-fonte]

  • Puneñas, estrenada no Teatro Cervantes de Buenos Aires.
  • Páramo, ballet lançado na Aula Magna da Universidad Central de Venezuela.
  • Birimbao, lançada no Festival Internacional de Mérida, Venezuela.
  • Yekuana, lançada na Aula Magna da Universidad Central de Venezuela.
  • Argentina hasta la muerte, orquestra e poema de César Fernández Moreno, lançada no Teatro Humboldt, Caracas.
  • Kwaltaya, Etnodrama lançado no Teatro Municipal, Caracas, Venezuela.
  • Constelación espectral, sinfonia lançada pela Orquesta Sinfónica Municipal.
  • Padre Libertador, obra sinfónico-coral, lançada durante o Interamericana Music Festival no Centro John F. Kennedy para las Artes Escénicas de Washington.
  • Gritos de una ciudad lançada em Mark Concert may, Nova York.
  • Hombre al cosmos obra para piano e cinta magnetofônica lançada no Chirst and St. Stephen’s Church de Nova York.

Referências[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Letralia 125 | Noticias | Murió en Argentina la investigadora Isabel Aretz
  2. «Cópia arquivada» (PDF). Consultado em 7 de outubro de 2017. Arquivado do original (PDF) em 27 de setembro de 2007 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]