Isabel de Schönau

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Santa Isabel de Schönau, O.S.B.
Altar de Santa Elisabeth de Schönau (com o relicário onde está preservado o seu crânio) na igreja do Abadia de Schönau.
Nascimento 1129 em Alemanha
Morte 18 de junho de 1165 (36 anos) em Abadia de Schönau, Strüth, Alemanha
Veneração por Igreja Católica
Festa litúrgica 18 de junho
Gloriole.svg Portal dos Santos

Isabel de Schönau (português europeu) ou Elisabeth de Schönau (português brasileiro), também Elizabeth, foi uma monja beneditina e santa da Alemanha. Não foi canonizada oficialmente mas seu nome foi incluído no Martirológio Romano em 1584 e nunca foi removido. É celebrada no dia 18 de junho.[1]

Vida e obras[editar | editar código-fonte]

Nasceu de uma família pobre com doze anos ingressou na vida religiosa. Professou em 1147 e em 1157 se tornou superiora das monjas na Abadia de Schönau. Levou uma vida ascética, impondo-se uma disciplina de severas penitências e mortificações. Passou boa parte de sua vida aflita por doenças físicas e mentais. Em 1152, depois de um longo período em depressão profunda, começou a experimentar êxtases e visões místicas. Foi discípula de Santa Hildegarda e deixou vários escritos, relatando o que via. Adquiriu fama de santa ainda enquanto viva, mas sua reputação é polêmica entre os estudiosos, e a Igreja não examinou nem tem uma posição oficial sobre seus escritos.[1]

Entre os livros que escreveu estão Visões (três volumes), Liber viarum Dei e Revelações do martírio de Santa Úrsula e seus companheiros.[1]

Referências

  1. a b c Mershman, F. "Elizabeth of Schonau". In: The Catholic Encyclopedia. New York: Robert Appleton Company, 1909
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Isabel de Schönau