Ismail ibn Musa Menk

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ismail ibn Musa Menks talk at Kerala State Business Excellence Awards 2015.jpg

Ismail ibn Musa Menk, também conhecido como Mufti Menk (27 de junho de 1975), é um clérigo muçulmano e grão-mufti do Zimbábue.[1][2] [3][4][5][6]Ele é também o chefe do departamento fatwa do Conselho de Estudiosos Islâmicos do Zimbábue.[7][1][8]

Ele foi nomeado um dos 500 muçulmanos mais influentes do mundo pelo Instituto Real Aal al-Bayt para o Pensamento Islâmico na Jordânia em 2013, 2014 e 2017.[9][10] Em 2018 ele publicou uma coletânea dos seus ditos como um livro intitulado Motivational Moments[11][12] e em 2019 publicou a segunda edição, intitulada Motivational Moments 2.[13]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Ele se opõe ao terrorismo e prometeu ajudar na contenção do extremismo religioso nas Maldivas.[14] Em 31 de março de 2018, ele instou os muçulmanos liberianos a evitarem a violência entre muçulmanos e cristãos, argumentando que muçulmanos e cristãos são irmãos e irmãs de um pai, o profeta Adão.[15] Ele culpa a mídia ocidental por enganar o mundo de que os muçulmanos são geralmente terroristas.[16] De acordo com a Gulf News, Menk disse que todos nesta terra são parte de uma família e têm um criador, portanto, ninguém tem o direito de forçar qualquer crença ou fé em outra.[17] Menk acredita na divulgação gratuita da mensagem de paz, portanto, não possui direitos autorais e não cobra nenhum trabalho ou orientação social ou espiritual.[1]

Prêmios e reconhecimento[editar | editar código-fonte]

  • Menk foi honrado com um doutorado honorário de orientação social pelo Aldersgate College, Filipinas, e pelo seu parceiro colaborador Aldersgate College - Dublin, Irlanda, em 16 de abril de 2016.[18]
  • Prémios KSBEA 2015 - Prémio de Liderança Global em Orientação Social foi concedido pelo Cochin Herald.[19][20]
  • Ele foi listado como um dos 500 muçulmanos mais influentes em 2014 e 2017[9][10]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b c «Peace comes calling a look into the Life of Mufti Menk, Grand Mufti of Zimbabwe.». Cochin Herald. Consultado em 20 de março de 2019. Cópia arquivada em 26 de outubro de 2017  Erro de citação: Código <ref> inválido; o nome "Cochin Herald" é definido mais de uma vez com conteúdos diferentes
  2. «The World Reacts on Social Media to Muhammad Ali's Death». The New York Times 
  3. Aljunied, Khairudin (5 de dezembro de 2016). Muslim Cosmopolitanism: Southeast Asian Islam in Comparative Perspective. [S.l.: s.n.] 
  4. Mohamed Nawab Osman and Aida Arosoie. Exclusionary preachers: Cause or symptom?. [S.l.: s.n.] 
  5. «Muslim Scholar Dismayed At Bomb Suspect's Retweet» 
  6. «Islamic community 'must act to counter growing influence of Salafism'» 
  7. «Was Minister Shanmugam's speech directed at preachers like Mufti Menk?» 
  8. «Mufti Menk denied permission to deliver sermon at the Islamic Centre» [ligação inativa]
  9. a b «The 500 Most Influential Muslims 2017» (PDF) 
  10. a b «The 500 Most Influential Muslims 2013-14» (PDF) 
  11. «PressReader.com - Connecting People Through News». www.pressreader.com 
  12. Menk, Musa. Motivational Moments. [S.l.: s.n.] ISBN 978-9811126475 
  13. «Islamic scholar Mufti Menk launches his second book». Khaleej Times 
  14. «Menk pledges aid in curbing religious extremism in Maldives» 
  15. «Zimbabwean Grand Mufti Warns Liberian Muslims Against Physical, Speech Violence» 
  16. «Mufti blames western media for misconception on Islam» 
  17. «Have respect for one another to bring about happiness, Dr Menk says». gulfnews.com (em inglês) 
  18. «MUFTI ISMAIL MENK HONORED» 
  19. «4th KSBEA 2015 Global Leadership Award 2015 Winners» (PDF). Consultado em 20 de março de 2019. Cópia arquivada (PDF) em 12 de junho de 2015 
  20. «4th KSBEA 2015 Global Leadership Award 2015 Winners» 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]