Júlia de Varano

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Júlia de Varano
Duquesa soberana de Camerino
Duquesa consorte de Urbino
Tiziano, Retrato de Júlia Varano (1545)
Galleria Palatina, Florença
1527-1539
Antecessor(a) João Maria de Varano
Sucessor(a) Estados Pontifícios
Guidobaldo II Della Rovere
Descendência Virgínia Della Rovere
Casa Varano (por nascimento)
Della Rovere (por casamento)
Nascimento 24 de março de 1523
  Camerino, Ducado de Camerino
Morte 18 de fevereiro de 1547 (23 anos)
  Fossombrone, Ducado de Urbino
Enterro Mosteiro de Santa Chiara, Urbino
Pai João Maria de Varano
Mãe Catarina Cybo

Júlia de Varano (em italiano: Giulia da Varano; Camerino, 24 de março de 1523Fossombrone, 18 de fevereiro de 1547) foi uma nobre italiana pertencente à família Varano que, durante séculos, governou o ducado de Camerino.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filha de João Maria de Varano (Giovanni Maria da Varano), duque de Camerino, e de Catarina Cybo (Caterina Cybo), foi duquesa soberana de Camerino e duquesa consorte de Urbino.

Quando o pai morre, em 1527, sucede-lhe no ducado de Camerino, sob a regência de sua mãe Catarina Cybo, mulher de grande dinamismo. De Júlia ficaram as moedas, com a sua esfínge, cunhadas durante a sua governação.[1]

Em 1534 casou com Guidobaldo II Della Rovere , indo viver no esplêndido palácio do marido, enquanto a sua mãe continuava a administrar o estado da família que, em 1535, se vê forçada a ceder formalmente ao papa, assinalando assim o fim da independência de Camerino. Júlia mantem a titularidade do ducado de Camerino até 1539, ano em que os seus direitos são formalmente adquiridos pelo Papa Paulo III por 78.000 scudi[2]

Em 1538, com a morte do seu sogro, o marido sucede no Ducado de Urbino e Júlia torna-se Duquesa Consorte.

Casamento e descendência[editar | editar código-fonte]

Do seu casamento com Guidobaldo nasceu uma filha, Virgínia Della Rovere, que veio a casar primeiro com Frederico Borromeo, sobrinho do Papa Pio IV e, em segundas núpcias, com Fernando Orsini.

Morte[editar | editar código-fonte]

Júlia morre em Fossombrone, com 24 anos, em 1547, após dois meses de doença em que foi assistida pela duquesa-mãe. Foi sepultada, após um sumptuoso funeral, no Mosteiro de Santa Clara (Santa Chiara) de Urbino. No ano seguinte Guidobaldo voltou a casar com Vitória Farnésio.[3]

Em 1999 o féretro da duquesa foi exumado e recuperado o valioso vestido com que fora sepultada. Ao lado do seu sarcófago encontravam-se o dos seus sogros, Francisco Maria I Della Rovere e Leonor Gonzaga.[4]

É celebre o seu retrato, pintado por Tiziano, Ritratto di Giulia Varano, encomendado por seu marido, e executado no período 1545-1547, conservado na Galeria Palatina de Florença.

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. Feliciangeli, p.39
  2. AA.VV., p.76
  3. Feliciangeli, p.90
  4. AA.VV., p.102
  • Este artigo foi inicialmente traduzido do artigo da Wikipédia em italiano, cujo título é «Giulia Varano».

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • AA. VV., I volti di una dinastia I da Varano di Camerino, Milão, 2001.
  • Feliciangeli B., Notizie e documenti su la vita di Caterina Cibo-Varano, duchessa di Camerino, Camerino, 1891.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
João Maria de Varano
Duquesa Soberana de Camerino
1527 - 1539
Sucedido por
integrado nos Estados Pontifícios
Precedido por
Leonor Gonzaga
Blason Guidobaldo II della Rovere.svg
Duquesa Consorte de Urbino

1538 - 1547
Sucedido por
Vitória Farnésio