Guidobaldo II Della Rovere

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Guidobaldo II Della Rovere
Duque Soberano de Urbino
Angelo Bronzino 053.jpg
Guidobaldo II por Agnolo Bronzino
Governo
Consorte (1) Júlia de Varano
(2) Vitória Farnésio
Casa Real Casa ducal de Urbino
Dinastia Della Rovere
Vida
Nascimento 2 de Abril de 1514
Urbino, Ducado de Urbino
Morte 28 de setembro de 1574 (60 anos)
Pesaro, Ducado de Urbino
Filhos Virginia, Duquesa de Gravina
Francisco Maria II, Duque de Urbino
Isabel, Princesa de Bisignano
Lavínia, Princesa de Francavilla
Pai Francisco Maria I Della Rovere
Mãe Leonor Gonzaga

Guidobaldo[1] II Della Rovere (2 de abril de 1514 – 28 de setembro de 1574) foi um condottiero italiano, que foi Duque de Urbino de 1538 até à sua morte. Era membro da poderosa família Della Rovere. Guidobaldo patrocinou as artes em geral e Ticiano em particular, tendo financiado o seu "Venus de Urbino".

Biografia[editar | editar código-fonte]

Era filho de Francisco Maria I Della Rovere e de Leonor Gonzaga. Casou com Júlia de Varano (em italiano Giulia da Varano), filha do senhor de Camerino, mas o casal não teve descendência. Aquando do assassinato do seu pai, Guidobaldo tornou-se Duque de Urbino em 1538.

Em 1546 foi encarregue de liderar (condotta) o exército Veneziano, o qual já anteriormente fora comandado por seu pai durante as Guerras Italianas. Após a morte de Júlia de Varano (1547), voltou a casar, em 14548, desta vez com Vitória Farnésio, filha de Pedro Luís Farnésio, Duque de Parma e Placência, e neta do Papa Paulo III. Esta aliança permitiu a aproximação de duas famílias que, graças ao nepotismo papal, haviam adquirido grande poder político e social na Itália renascentista. Mais tarde, foi feito governador Papal de Fano, recebendo o título de capitano generale (comandante em chefe) dos Estados Pontifícios, bem como o de Prefeito de Roma.

Em 1559 foi contratado pelo Rei de Espanha, ajudando Nicolau Bernardo Sanseverino (que casara com uma das suas filhas) na guerra contra os Otomanos.

No dia 1 de janeiro de 1573 ocorreu uma revolta em Urbino contra Guidobaldo, dado o peso excessivo dos impostos que o duque lançara sobre o seu estado. A reacção foi violenta e a repressão sangrenta acabou com os confrontos.

Após ter ficado doente no decurso duma viagem a Ferrara e Pesaro, morreu nesta última cidade em 1574, sucedendo-lhe o seu filho varão como duque de Urbino.

Descendência[editar | editar código-fonte]

Do seu primeiro casamento com Júlia de Varano, nasceu uma filha:

  • Virginia (1544-1571), que casou com Frederico Borromeo, duque de Camerino, príncipe de Oria e conde de Arona.

Do segundo matrimónio, com Vitória Farnésio, Guidobaldo teve nove filhos[2] , dos quais apenas três atingiram a idade adulta:

  • Francisco Maria (Francesco Maria), (1549-1631) que sucedeu como Duque de Urbino;
  • Isabel (Isabella), (1554-1619) que casou com Nicolau Bernardino Sanseverino, 6° Príncipe de Bisignano;
  • Lavínia (Lavinia), (1558-1632) que casou com Afonso Felix II d'Avalos, marquês de Vasto e de Pescara.

Ascendência[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Francisco Maria I Della Rovere
Blason Guidobaldo II della Rovere.svg
Duque de Urbino

1538 - 1574
Sucedido por
Francisco Maria II Della Rovere


Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • «Patronage and Dynasty: The rise of the Della Rovere in Renaissance Italy (Sixteenth centuries Essays & studies)» - Ian Verstegen
  • Litta, P.. Famiglie celebri italiane. Milan: [s.n.], 1834.
  • Genealogia da Família Della Rovere – euweb.cz

Notas[editar | editar código-fonte]

Referências