Jiló

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaJiló
Fruta Jiló.JPG

Classificação científica
Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Solanales
Família: Solanaceae
Género: Solanum
Espécie: S. aethiopicum
Nome binomial
Solanum aethiopicum
L.

O jiló (antes Solanum gilo, hoje considerada um grupo de cultivares de Solanum aethiopicum) é o fruto da planta herbácea jiloeiro, muito cultivada no Brasil. O fruto é tem um característico sabor amargo. É originário da África Ocidental.

Jiló em um mercado em São Paulo

Características[editar | editar código-fonte]

É o fruto do jiloeiro, que pode atingir entre um e 1,5 metros de altura. Os ramos são verdes, cilíndricos e alongados, tem folhas de formato oblongo, recobertas por pelos, principalmente na lauda inferior. As flores são brancas, dispostas de duas a três, em pequenos racemos com pedúnculo curto. O fruto pode ser oblongo, alongado ou quase esférico, conforme a variedade, de coloração verde-clara ou escura e com massa de catorze a dezessete gramas.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

"Jiló" origina-se do termo quimbundo njilo[1].

Valores nutricionais[editar | editar código-fonte]

O jiló contém carboidratos (3 a 6%), proteínas (1,4%), sais minerais como cálcio, fósforo e ferro e as vitaminas B5 e C.

A vitamina C contida no jiló é perdida com o cozimento.

Referências

  1. FERREIRA, A. B. H. Novo Dicionário da Língua Portuguesa. Segunda edição. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986. p.988
  • Pagoto, J.M. 1896. "Jiló (Solanum gilo Raddi)"; Manual Técnico das Culturas (CATI),

Edição Especial. Campinas. Governo do Estado de São Paulo. N. 8. 1986. p. 254-256.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.