João Bogas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
João Bogas
Nacionalidade Império Bizantino
Ocupação General
Religião Ortodoxia Oriental

João Bogas (em grego medieval: Ἰωάννης Βωγᾶς/Βογᾶς; transl.: Ioánnes Bogas) ou Bagas (em grego medieval: Βαγᾶς, Bagas) foi um nobre bizantino do século IX, ativo durante o reinado do imperador Leão VI, o Sábio (r. 886–912). Aparece em 914, quando foi enviado como emissário aos nômades além do Danúbio para convencê-los a lutar ao lado do Império Bizantino na guerra contra o Império Búlgaro de Simeão I (r. 893–927).

Soldo de Romano I Lecapeno (r. 920–944) e Constantino VII Porfirogênito (r. 913–959)
Selo de Simeão I (r. 893–927)

Vida[editar | editar código-fonte]

Aparece em 914, logo após Zoé Carbonopsina, mãe de Constantino VII (r. 912–959), retornar a Constantinopla e continuar a guerra contra o Bulgária. O império precisava de aliados para lutar e João, que talvez era estratego do Quersoneso, alegou poder persuadir os pechenegues a fazerem campanha contra os búlgaros. Para tal, solicitou ser nomeado patrício, o que lhe foi concedido. Depois disso, viajou com presentes aos territórios pechenegues e um acordo foi concluído. Os pechenegues se comprometeram a marchar contra os búlgaros e ofereceram reféns que voltaram a Constantinopla com João.[1]

No verão de 917, os bizantinos organizaram grande expedição contra os búlgaros que culminou na desastrosa Batalha de Anquíalo. Os pechenegues, sob liderança de João, parecem ter sido convocados a ajudar, mas ao chegarem no Danúbio, ocorreu uma disputa entre ele e o almirante Romano Lecapeno (o futuro Romano I), que recusou-se a transportá-los. Ao perceberem, os pechenegues voltaram para suas terras; uma investigação foi conduzida em Constantinopla para apurar a questão.[1]

O patriarca Nicolau I enviou uma carta ao Simeão I (r. 893–927) na qual escreveu que Bogas (sem citar seu nome), o estratego do Quersoneso, repetidamente falou sobre as tentativas de Simeão para convencer os pechenegues e outros povos a aliarem-se aos búlgaros num ataque contra os bizantinos. João teria lhe enviado relatórios e cartas sobre isso todos os dias.[1]

Referências

  1. a b c Lilie 2013.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Lilie, Ralph-Johannes; Ludwig, Claudia; Zielke, Beate et al. (2013). «#22911 Ioannes Bogas». Prosopographie der mittelbyzantinischen Zeit Online. Berlim-Brandenburgische Akademie der Wissenschaften: Nach Vorarbeiten F. Winkelmanns erstellt