Jorge Glas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Jorge Glas
Jorge Glas
Jorge Glas in 2013
Nascimento 13 de setembro de 1969
Guaiaquil
Cidadania Equador
Alma mater
  • Escola Politécnica da Costa
Ocupação engenheiro eletrotécnico, político
Religião catolicismo

Jorge David Glas Espinel (Guayaquil, 13 de setembro de 1969) é um engenheiro elétrico e político equatoriano. Foi vice-presidente do Equador de 2013 até 2017.[1] Em dezembro de 2017 foi condenado a 6 anos de prisão por envolvimento no caso Odebrecht.[2] Foi condenado novamente, dessa vez em última instância, a oito anos de reclusão pelo Caso Sobornos em 2022.[3]

Referências

  1. «Jorge Glas» (em espanhol). Ecuavisa. Consultado em 26 de maio de 2017 
  2. «Sentencian al vicepresidente de Ecuador a 6 años de prisión por caso Odebrecht». RT (em espanhol). 13 de dezembro de 2017. Consultado em 31 de janeiro de 2018 
  3. «Ex-vice-presidente do Equador voltará para a prisão por caso Odebrecht». G1. 20 de maio de 2022