Juan José Balzi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Juan J. Balzi.jpg

Juan José Balzi (Buenos Aires, 28 de maio de 1933 - São Paulo, 21 de setembro de 2017) foi um pintor, ilustrador, desenhista professor e publicitário argentino radicado no Brasil.

Suas obras estão em museus e coleções particulares; participou da Bienal - SP de 2002 e de exposições no MAC - SP e na FAAP. Criou a imagem gráfica da Editora Nova Alexandria e de várias obras literárias da Globo, Abril, Ática, Moderna e Melhoramentos. É autor do livro “O Impressionismo” (Ática-1992). Em 1982, o então Diretor do Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo, Wolfgang Pfeiffer, escreveu: “A grande força de compaixão e o engajamento social - não necessariamente no sentido político - conduziram Balzi para uma pintura vigorosa, onde ele mostra ambientes nos quais introduz o ser humano, chegando à demonstração de caráter essencial das situações. Em muitos casos ele coloca a figura humana num isolamento bastante expressivo, em cenários carregados de cores escuras. Esses ambientes marcam, também, o espírito das imagens que devem ser contempladas”.

Juan J. Balzi ingressou na Academia Nacional de Belas Artes de Buenos Aires quando tinha 14 anos, saindo, 9 anos depois, com o título de Professor de Desenho e Técnico em Publicidade Artística. Em 1958 veio ao Brasil contratado pela agência Grant Advertising como "Art Director". Começava assim uma carreira através das mais conhecidas multinacionais de propaganda que o levaria até o cargo de "Creative Director" em 1975, quando decidiu abandonar a publicidade para dedicar-se exclusivamente à pintura que, aliás, nunca havia abandonado. Foi importante nesta decisão, o estímulo de sua mulher, Marina Thiel Grillo, com quem havia se casado em São Paulo. Em 1964, o casal mudou-se para Itália. Em Milão, na Accademia di Brera, Balzi fez os anos que lhe faltavam para convalidar seu título e conheceu Carlo Carrá cujos conselhos foram importantes para seu amadurecimento artístico. Também foram importantes seus encontros com Salvador Dalí [[[1]]], em Barcelona, onde a família Balzi residiu de 1968 a 1987. Foi este o período de sua maior atividade artística, realizando inúmeras exposições sendo, talvez, a mais importante sua participação no 1º Congresso de Artistas Latino-americanos na Galeria Gaudí.

Em 1987 Balzi volta ao Brasil e durante 10 anos se dedicou a realizar oficinas de pintura e grafite para adolescentes carentes do ABC paulista. O resultado dessa experiência virou o livro Meninos de Arte, lançamento da editora Nova Alexandria, que mostra ser possível fazer arte sem ter quase nada, só inspiração.

Balzi é autor de aproximadamente 500 óleos e inúmeros desenhos. Igualmente fecunda foi sua atividade como ilustrador: em Barcelona ilustrou as obras completas de [[[2]]], [[[3]]] e [[Sarmiento]] e, já de volta a São Paulo, ilustrou aproximadamente 50 livros para editoras de São Paulo. O ilustre crítico Santos Torroella disse de Balzi: “É pintor notável, em cujas obras fica patente esse fazer facil, resolvido com eficácia e simplicidade, que denota sempre uma ampla e bem resolvida aprendizagem. Seus óleos são espléndidos, em colorações soltas que respondem a uma visão muito pictórica. Não ficam atrás seus desenhos, com traços muito sensíveis, tecnicamente perfeitos”.

Cronologia

  • 1933-1947 Nasce em Buenos Aires no seio de uma família de artistas: sua mãe, pianista, dirige um Conservatório musical, sua irmã é a renomada intérprete Beatriz Balzi. Mas é seu tio, o arquiteto e pintor Vanni Balzi quem o estimula a ingressar na Academia Nacional de Belas Artes, onde o jovem Balzi conhecerá Ricardo Dagá, Rómulo Maccio, Julio Le Parc Julio Le Parc e tantos outros colegas.
  • 1956 Gradua-se com os títulos de Professor de Desenho e Técnico em Publicidade Artística.
  • 1958 É contratado pela Grant Advertising para sua agência em Brasil e passa a dividir sua atividade de pintor com a de publicitário. Realiza um grande painel mural para o Governo de Rio Grande do Sul.
  • 1961 Casa-se com Marina Thiel Grillo. A natureza e o clima do Brasil influenciam fortemente sua pintura que evolui para uma espécie de "fauvisme".
  • 1964 O casal muda-se para Milão. Balzi obtém a cidadania italiana e convive com Carlo Carrà e outros artistas da época.
  • 1965 Nasce sua filha Silvia.
  • 1966 Transfere sua residência para Madrid.
  • 1968 Muda-se para Barcelona, onde nasce seu filho Mario. Sua pintura evolve para uma espécie de Expressionismo metafísico.
  • 1970 Abandona a publicidade. Ilustra as obras completas de Baltasar Gracián para a editora Argos Vergara.
  • 1971 Participa do I Congresso das Artes Plásticas de América Latina na Sala Gaudí. Encontra com Salvador Dalí.
  • 1972 Participa da Exposição Internacional de homenagem a Picasso em Vallauris, França.
  • 1976 É convidado pela galeria Gian Ferrari de Milão para participar da "Decima Biennale di Campione d'Italia". Exposição na Galeria Angel Boscán de Caracas, Venezuela.
  • 1979 Ilustra os romances "Facundo" e "Recuerdos de Provincia" de Domingo F. Sarmiento e as obras completas de José Martí. Obtêm o diploma da Accademia de Brera. Habilitado pela Universidade de Bologna, assume as cátedras de Educação Artística e de Desenho e História da Arte no Liceo Italiano de Barcelona.
  • 1980 Participa da Exposição inaugural do M.A.C. de Nicarágua.
  • 1981 Assiste como professor conivdado ao Simpósio sobre Novas Técnicas de Pintura Mural da Libera Università Europea em Montefiore Conca, Itália.
  • 1982 Junto com o escultor Vicente Mir, apresenta as 50 obras do projeto Esculto-pintura na galeria Fontana D'Or de Gerona, Espanha. Exposição no M.A.C. de São Paulo.
  • 1987 Participa da Exposição Novos Expressionistas Espanhóis, em Nova York. Muda-se para o Brasil.
  • 1988 O Clube de Criação de São Paulo realiza uma grande mostra de suas ilustrações.
  • 1989-1991 Ministra cursos de pós-graduação em História da Arte e Metodologia do Ensino da Arte na Fundação Armando Álvares Penteado. Junto com sua irmã Beatriz, apresenta um Informe no Congresso de Educação Artística de La Habana, Cuba. Ministra diversos cursos de História da Arte para a Secretaria Municipal de Cultura, Instituto Italiano di Cultura, Aliança Francesa, Fundação Ioschpe e várias outras instituições. O Museu de Arte Brasileira e o Istituto Italiano di Cultura organizam uma grande exposição retrospectiva de sua obra na F.A.A.P.
  • 1992 A Embaixada da Espanha realiza uma exposição de sua obra por ocasião do 5º Centenário do Descobrimento da América. A editora Ática edita seu curso "O Impressionismo".
  • 1993 Mostra no Paço Municipal de Santo André.
  • 1994-1997 Realiza oficinas de pintura e grafite com adolescentes de rua e grafiteiros para a Secretaria do Estado da Cultura, baseadas no seu projeto Imagens de 3ª Geração (intervenção gestual sobre imagens da mídia). Além da recuperação visual de vários centros comunitários do grande ABC e do resgate cultural e moral de centenas de jovens, o trabalho com eles influenciou fortemente a maneira de Balzi intervir em imagens dos meios de comunicação, originando um conceito que ele mesmo chamava de "Pichação gráfica"
  • 1998-2004 Exposição "Balzi e os Meninos de Arte" no Museu Estadual de Tubingen (Alemanha). Realiza oficinas de pintura e grafite para adolescentes carentes em seis centros do Município de Santo André. Participa da I S.P. Arte, exposição de abertura da XXV Bienal de São Paulo. Morre sua esposa Marina. Na sua pintura alternam-se momentos de extremo radicalismo gestual com outros de total abandono a uma fruição meramente pictórica.
  • 2005 Participa da exposição "Transeuntes" no M.A.C. de São Paulo. 2010 Neste período, Balzi desenvolve um curso de pintura para as Faculdades Claretianas de educação à distância e a Editora Nova Alexandria edita "Meninos de Arte", uma detalhada metodologia de arte-educação. Ambos trabalhos compõem um extenso e profundo tratado sobre o pensamento artístico de Balzi.
  • 2013 Exposição "Balzi e os Meninos de Arte" no Centro Cultural Cervantes de São Paulo.
  • 2015 É homenageado pela Presença da América Latina - PAL com o prêmio Destaques Personalidades Inmigrantes Latinos en Arte.
  • 2017 Participa da 2ª Bienal Internacional de Arte de Gaia (Portugal) a convite do artista Fernando Durão.
  • 2017 Morre em São Paulo, no dia 21 de setembro.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.