Juan Piñera

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Juan Piñera (La Habana, Cuba, 1949) é um excelente músico cubano que, durante sua longa carreira, cobriu um amplo espectro como instrumentista, compositor, professor e consultor musical.

Formação acadêmica[editar | editar código-fonte]

Juan Piñera recebeu suas primeiras liçãos de piano de sua irmã Ninfa María Piñera[1] Depois de algum tempo, continuou seus estudos de piano com os professores cubanos César Pérez Sentenat e Silvio Rodríguez Cárdenas no Conservatório Alejandro García Caturla em Marianao,Habana. Ao mesmo tempo, estudou com a clavicembalista argentina Lidia Guerberof.

Em 1968, Piñera foi para a Escola Nacional de Artes, onde continuou seu treinamento de piano com os professores Silvio Rodríguez Cárdenas, Ninowska Fernández-Britto e Ana Martínez Estrada. Depois de se formar em 1972, estudou composição musical com José Ardévol e Roberto Valera na Instituto Superior de Arte (ISA).[2]

Atividade profissional[editar | editar código-fonte]

Como compositor, Piñera recebeu inúmeras comissões para compor músicas para peças de teatro, talentos como Il Piacere, Amor con amor se paga e La taza de café. Ele colaborou mesmo com companhias de dança como Danza Contemporánea de Cuba, o Conjunto Folklórico Nacional, Danza del Caribe, Danza Combinatoria e o Ballet Nacional de Cuba, para o qual ele compôs a música original de três obras de dança.[3] Piñera ha producido y dirigido un programa semanal de radio dedicado a promover la música contemporánea.

Piñera foi um dos fundadores do Laboratorio Nacional de Música Electroacústica.

Composições[editar | editar código-fonte]

Juan Piñera criou um extenso catálogo que inclui inúmeras composições para solistas, sinfônicos, vocais e de câmara, além de programas de televisão, filmes e música didática. Ele foi um dos fundadores do Laboratório Nacional de Música Eletroacústica em Cuba,[4] onde ele compôs um extenso catálogo de peças que incluem:“Pirandelliana”, para mídia eletroacústica e dois atores, “Tres de Dos”, “Imago”, para violão e mídia elctroacústica, “Germinal”, “Cuando el Aura es Áurea, o la muy triste historia de los ocho minutos con treinta y ocho segundos” (para saxofone soprano e mídia elctroacústica, “Pampano y Cascabel”, para violão e mídia elctroacústica e “Opus 28 No.1, o de la Gota de Agua”, para mídia electroacústica.

Prémios[editar | editar código-fonte]

Entre muitos outros, Piñera recebeu dois importantes prêmios (por obras sinfônicas e eletroacústicas) da União Nacional de Escritores e Artistas de Cuba (UNEAC) e um primeiro prêmio no concurso internacional de Música Experimental de Bourges, em 1984.[3]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Sonidos de las Americas: Cuba- Artists and composers. http://www.americancomposers.org/cubabios.htm#PINERA
  2. Juan Manuel Piñera Infante. Ecured. http://www.ecured.cu/index.php/Juan_Manuel_Pi%C3%B1era_Infante
  3. a b Laboratorio Nacional de Música Electroacúsitca. Juan Piñera. «Copia archivada». Consultado em 13 de junho de 2016. Cópia arquivada em 5 de fevereiro de 2012 
  4. Laboratorio Nacional de Música Electroacúsitica. http://www.electroacustica.cult.cu/