Língua arrernte

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Arrernte (Arrernte)
Falado em: Austrália,
Região: Território do Norte
Total de falantes: 1,500
Família: Línguas Pama-Nyungan
 Arandico
  Arrernte
Códigos de língua
ISO 639-1: nenhum
ISO 639-2: aus
ISO 639-3: vários

A língua arrernte (ou aranda) é uma língua ou conjunto de dialetos relacionados falados na região de Alice Springs (Mparntwe em Arrernte) no Território do Norte, Austrália. Esse grupo inclui as seguintes línguas:

  • Anmatjirra
  • Alyawarr
  • Ayerrerenge
  • Antekerrepenhe
  • Arrernte oriental ou Ikngerripenhe
  • Arrernte central ou Mparntwe Arrernte
  • Arrernte ocidental, Tyuretye Arrernte ou Arrernte Alturlerenj
  • Arrernte meridional ou Pertame
  • Baixo arrernte ou Alenjerntarpe

Ainda não há um consenso se essas línguas são apenas dialetos ou línguas distintas.

Fonologia[editar | editar código-fonte]

Consoantes[editar | editar código-fonte]

Peripheral Laminal Apical
Bilabial Velar Uvular Palatal Dental Alveolar Retroflexiva
Parada p pʷ k kʷ c cʷ t̪ t̪ʷ t tʷ ʈ ʈʷ
Nasal m mʷ ŋ ŋʷ ɲ ɲʷ n̪ n̪ʷ n nʷ ɳ ɳʷ
Prestopped nasal pm p kŋ kŋʷ cɲ cɲʷ n̪ʷ tn t ʈɳ ʈɳʷ
Lateral ʎ ʎʷ l̪ l̪ʷ l lʷ ɭ ɭʷ
Aproximante w ɰ~ʁ j jʷ ɻ ɻʷ
Tap/Trill r rʷ

A consoante /ɰ~ʁ/ é descrita como velar ([ɰ]) por Breen (2005), e como uvular ([ʁ̞]) por Henderson (2003).

Vogais[editar | editar código-fonte]

Frontal Central Anterior
Alta (i) (u)
Média ə
Baixa a

Todos od dialetos possuem pelo menos /ə a/.

Fonotáticas[editar | editar código-fonte]

A estrutura silábica do arrernte é descrita como VC(C), com codas obrigatórias.

Arrernte nas escolas[editar | editar código-fonte]

Na maior parte das escolas primárias de Alice Springs, estudantes (de todas as raças e nacionalidades) são educados em arrernte (ou em alguns casos em arrernte ocidental) como uma língua obrigatória, junto ao francês ou indonésio. Adicionalmente, a maioria dos centros de ensino superior de Alice Springs oferecem a opção de estudo da língua arrernte como uma disciplina opcional, podendo também ser aprendida no Centralian College como parte de um curso TAFE. Há planos de se introduzir a língua arrernte como disciplina no currículo acadêmico de universidades.

Arrernte em locais de trabalhos[editar | editar código-fonte]

Muitos postos de serviços de Alice Springs exigem que os empregados possuam ao menos o básico do arrernte a fim de se comunicarem efetivamente com a grande população arrernte (aproximadamente 25% dos residentes de Alice Springs falam arrernte como primeira língua). Muitos locais de trabalho oferecem o ensino do arrernte como uma opção.

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Breen, Gavan (2001). «The wonders of Arandic phonology». In: Simpson, Jane, Nash, David, Laughren, Mary, Austin, Peter & Alpher, Barry. Forty Years On: Ken Hale and Australian Languages (Canberra: Pacific Linguistics). pp. 45–69. 
  • Breen, Gavan (2005). «Illustrations of the IPA: Central Arrernte». Journal of the International Phonetic Association [S.l.: s.n.] 35 (2): 249–254. doi:10.1017/S0025100305002185. 
  • Breen, Gavan; Rob Pensalfini (1999). «Arrernte: A Language with No Syllable Onsets». Linguistic Inquiry [S.l.: s.n.] 30 (1). 
  • Dixon, R. M. W. (2002). Australian Languages: Their Nature and Development (Cambridge: Cambridge University Press). 
  • Henderson, John (1988). Topics in Eastern and Central Arrernte grammar [S.l.: s.n.] 
  • Henderson, John; Veronica Dobson (1994). Eastern and Central Arrernte to English Dictionary (Alice Springs: IAD Press). 
  • Henderson, John (2003). «The word in Eastern/Central Arrernte». In: R. M. W. Dixon and Alexandra Y. Aikhenvald. Word: A Cross-Linguistic Typology (Cambridge: Cambridge University Press). pp. 100–124. 
  • Mathews, R. H. (1907). «The Arran'da Language, Central Australia». Proceedings of the American Philosophical Society [S.l.: s.n.] 46 (187): 322–339. 
  • Strehlow, T. G. H. (1944). Aranda phonetics and grammar (Sydney: Oceania Monographs). 
  • Wilkins, David P. (1988). «Switch-reference in Mparntwe Arrernte (Aranda): form, function, and problems of identity». In: Austin, P. K. Complex sentence constructions in Australian languages (Amsterdam: John Benjamins). pp. 141–176. 
  • Wilkins, David P. (1989). Mparntwe Arrernte (Aranda): studies in the structure and semantics of grammar [S.l.: s.n.] 
  • Wilkins, David P. (1991). «The semantics, pragmatics and diachronic development of "associated motion" in Mparntwe Arrente». Buffalo Working Papers in Linguistics [S.l.: s.n.] 91: 207–257. 
  • Yallop, C. (1977). Alyawarra, an Aboriginal language of central Australia (Canberra: Australian Institute of Aboriginal Studies). 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]