Língua efik

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Efik
Falado em: Nigéria
Região: Cross River (estado)
Total de falantes: 400 mil (1998); como 2ª língua - 2 milhões
Família: Nigero-congolesa
 Atlântico–Congo
  Benue–Congo
   Cross River
    Baixo Cross River
     Efik
      Efik
Códigos de língua
ISO 639-1: --
ISO 639-2: efi
ISO 639-3: efi

Efik /ˈɛfɪk/[1], erroneamente referida como ibibio ribeirinho,[2] é a língua nativa dos efiques da Nigéria, onde é uma língua nacional, sendo também a língua oficial do estado de Cross River. É inteligível pelos falantes da língua ibibio do estado nigeriano de Akwa Ibom que é vizinho de Cross River. Muitos classificam as duas como uma única língua.

Escrita[editar | editar código-fonte]

A língua Efik tem sua escrita com base no alfabeto latino sem o uso das letras C, J, L, Q, V, X, Z; usam-se ainda as formas Bj, Bw, Dy, Fy, Gh, Kp, Kw, Mb, My, Mw, Ny, Nw, Ñw, Rw, Sy, Sw, Ty, Tw;

Tons[editar | editar código-fonte]

Efik é uma língua tonal, sendo que os tons podem ou não ser marcados tones can be marked as follows, however they are often omitted. • Tom Alto: ó (acento agudo) • Tom Baixo: à (acento grave) • Tom médio: ē (macron) • Tom descendente: û (circunflexo) • Tom ascendente: ě (caron)

Amostra de texto[editar | editar código-fonte]

Oyobio ye utin ekeneni ndifiọk tiet eke ọsọñọde idem akan ufan. Ndo ndo oro asaña-isañ asaña edi, awañ idem esie ke ndodobi ọfọñ etuep. Mmọ enyime ete akpa owo emi edinamde asaña-isañ osio ndodobi ọfọñ esie efep enye oro edidi ọsọñ idem ñkan enye eken. Ekem oyobio abara ke ofri ukeme esie, edi nte enye ọsọsọñọ abara ntre ke asañ-isañ ototim ọsọñọ ada ọfọñ esie awañ idem, ndien kutit oyobio osioño idem efep. Ekem utin asiaha, eyo onyuñ ayat ọkpọsọñ, ndien ndo ndo oro asañ-isañ osio ọfọñ esie efep. Do ntre oyobio okut onyuñ enyime ete ke utin edi andikan kotu mmọ mbiba.

Português

O vento norte e sol Sun estavam disputando quem era o mais forte, quando um viajante surgiu envolto em um casaco grosso. Eles concordaram que o primeiro que conseguisse fazer o viajante tirar seu casaco capa off deve ser considerado mais forte do que o outro. Em seguida, o vento norte soprou tão duro quanto podia, mas quanto mais ele soprava mais o viajante segurava sua capa ao redor dele. Finalmente, vento norte desistiu da tentativa. Em seguida, o sol brilhou calorosamente e imediatamente o viajante tirou o casaco. Assim. o vento norte foi obrigado a confessar que o Sol era o mais forte dos dois.

Referências

  1. Laurie Bauer, 2007, The Linguistics Student’s Handbook, Edinburgh
  2. Okon E. Essien, 1986, Ibibio names: their structure and their meanings

ligações externas[editar | editar código-fonte]