Língua paiúte setentrional

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Paiúte Setentrional
Falado em: Estados Unidos
Região: Nevada, Califórnia, Oregon, Idaho
Total de falantes: 700 dentre 6 mil Paiútes (2007)
Família: Uto-Asteca
 Setentrional
  Númica
   Númica Ocidental
    Paiúte Setentrional
Códigos de língua
ISO 639-1: --
ISO 639-2: ---
ISO 639-3: pao

Paiútee Setentrional /ˈpt/,[1] também chamada Numu e Paviotso, é uma língua Númica Ocidental da família das línguas uto-astecas, a qual, conforme Marianne Mithun tinha cerca de falantes fluentes em 1994.[2] Ethnologue registrou cerca de 1.631 falantes em 1999, dentre 6 mil da etnia Paiúte.[3] É bem próxima à língua mono.

Fonologia[editar | editar código-fonte]

A fonologia da língua paiúte norte é muito variável, havendo muito alofones.[4]

Consoantes[editar | editar código-fonte]

Bilabial Alveolar Palatal Velar Glotal
Plain Lab.
Oclusiva p t k ʔ
Nasal m n ŋ
Fricativa s h
Africada ts
Aproximante w j

Vogais[editar | editar código-fonte]

Anterior Central Posterior
Fechada i ɨ u
Meio Aberta ɔ
Aberta a

Escrita[editar | editar código-fonte]

O ancião Ralph Burns da reserva indígena paiúte do lago Pyramid trabalhou com a linguista Catherine Fowler da Universidade de Nevada, Reno para desenvolver uma forma do alfabeto latino para o Paiúte. São 19 letras, não havendo as letras C, F, L, Q, R, V, X, algo que também ocorre em muitas das línguas ameríndias da América do Norte. Eles também desenvolveram um livro para ensino da língua, “Numa Yadooape,” e uma série de CDs e DVD com lições de Paiúte."[5]

Morfologia[editar | editar código-fonte]

A língua paiúte setentrional é uma língua aglutinante na qual, como ocorre em muitas das línguas ameríndiasda América do Norte, as palavras usam complexos sufixos com diversos objetivos e também há muitos morfemas agrupados.

Revitalização[editar | editar código-fonte]

Em 2005, o Instituto de Línguas Indígenas do Nordeste da Universidade de Oregon fez uma parceria para ensinar o Paiúte Setentrional em o a língua “Upper Chinook” (Kiksht) nas escolas da “[Warm Springs Indian Reservation”..[6] Em 2013, em Washoe County, Nevada, criou-se a primeira escola distrital a ensinar a língua, oferecendo cursos opcionais na "Spanish Springs High School".[7] Também houve classes de ensino do Paiúte na "High School" em Sparks (Nevada).[5]

Amostra de texto[editar | editar código-fonte]

Yabano numme suugganna a nakabodo manaykase. Sooome suuggabodonna yise opeddoonna. Yise tamme opewunuputoohoo. Saa'a oka mamaggwuhoose yise mumme opomadabboo'e.

Português

No outono, colhemos salgueiros, depois que eles perdem suas folhas. E então vamos aos salgueiros coletá-los, em seguida tiramos as cascas deles. Então, fazemos cordas de salgueiro. Mais tarde, depois que terminamos isso, fazemos cestas redondas.

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. Laurie Bauer, 2007, The Linguistics Student’s Handbook, Edinburgh
  2. Mithun (1999:541)
  3. «Report on Northern Paiute». Ethnologue. Consultado em 29 de março de 2007 
  4. Haynes, Erin Flynn (2010). "Phonetic and Phonological Acquisition in Endangered Languages Learned by Adults: A Case Study of Numu (Oregon Northern Paiute)". PhD dissertation, University of California, Berkley
  5. a b Vogel, Ed (1 de fevereiro de 2014). «Paiute elder rescues language near extinction». Las Vegas Review-Journal. Consultado em 26 de fevereiro de 2014 
  6. Joanne B. Mulcahy (2005). «Warm Springs: A Convergence of Cultures» (Oregon History Project). Consultado em 26 de fevereiro de 2013 
  7. Joe Hart (Director). «Nevada Proud: Students get a chance to learn native language in school». My News 4. KRNV, Reno, NV. Consultado em 24 de outubro de 2013 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Liljeblad, Sven, Catherine S. Fowler, & Glenda Powell. 2012. The Northern Paiute-Bannock Dictionary, with an English-Northern Paiute-Bannock Finder List and a Northern Paiute-Bannock-English Finder List. Salt Lake City: University of Utah Press. ISBN 978-1-60781-030-8
  • Mithun, Marianne (1999). Languages of Native North America. Cambridge: Cambridge University Press.
  • Snapp, Allen, John L. Anderson, and Joy Anderson. 1982. Northern Paiute. In Ronald W. Langacker, eds. Sketches in Uto-Aztecan grammar, III: Uto-Aztecan grammatical sketches. Dallas: Summer Institute of Linguistics and the University of Texas at Arlington. Summer Institute of Linguistics Publications in Linguistics, 57(3) [The publication erroneously stated (56)3, but this has been amended in the PDF made available online by the publisher.] pp. 1–92.
  • Thornes, Tim (2003). "A Northern Paiute Grammar with Texts". Ph.D. dissertation. University of Oregon-Eugene.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]