Língua wallisiana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Wallisiano (Faka’uvea)
Falado em: Wallis e Futuna
Total de falantes: 10.400 (2000)
Família: Austronésia
 Malaio-Polinésia
  Oceânica
   Polinésia
    Rennellês?
     Wallisiano
Códigos de língua
ISO 639-1: --
ISO 639-2: ---
ISO 639-3: wls

O Wallisiano ou ’Uvean (Faka’uvea) é a língua Polinésia falada em Wallis (ilha). É também chamada Uveana Oriental para distinguir da língua Uveana Ocidental falada na ilha próxima, Ouvéa, próxima a Nova Caledônia. A tradição Wallisiana diz que essa última foi colonizada pelos habitantes da ilha Wallis num passado remoto.

Classificação[editar | editar código-fonte]

O Wallisiano é a língua mais próxima do rennellês e também da língua tonganesa, que são parte do ramo Samóico. Tomou muitas palavras tonganesas por causa da invasão do povo de Tonga nos séculos XV e XVI.

Ortografia[editar | editar código-fonte]

As 5 vogais: a, e, i, o, u têm suas variantes longas: ā, ē, ī, ō, ū.

As consoantes são: f, g (pronunciada (ng)), h, k, l, m, n, s (rara, só em palavras estrangeiras), t, v, apóstrofo ou ʻokina, também chamada por outros nomes, é uma consoante unicameral usada no alfabeto latino de línguas polinésias para marcar um oclusiva glotal. Em Wallisiano é chamada fakamoga (pertencente à garganta). O fakamoga é hoje ensinado nas escolas e pode ser escrito com apóstrofos retilíneos, curvos ou invertidos. Da mesma forma, o diacrítico Macron (Wallisian: fakaloa , 'alongar') agora é ensinado nas escolas para marcar vogais longas, mesmo que a geração mais velha nunca tenha marcado as oclusivas glotais ou a extensão da vogal . Exemplo: Mālō te ma'uli (olá)

Influência de outras línguas[editar | editar código-fonte]

O Wallisian pode estar mais intimamente relacionado com a língua Rennellesa e também com o Tonganês, devido às antigas invasões de Tonga em Wallis. Por exemplo, a forma no passado "ne'e" vem do Tonganês.

O Wallisiano foi fortemente influenciado pela língua Francesa. Os missionários franceses chegaram no final do século XIX; Em 1961, Wallis e Futuna tornou-se Território ultramarino da França e o francês é agora a língua oficial. De acordo com muitos linguistas, como K. Rensch, o francês não afetou muito a linguagem no início, mas agora transforma profundamente o Wallis.

Muitos [[neologismo]s] foram criados por transliterar palavras francesas para o Wallisiano, como no vocabulário da política. Palavras como Falanise (França), Telituale (Território), politike, (política), Lepupilika (República)..., muitos termos técnicos (telefoni, televisio...), comidas trazidas por europeus para Wallis (tomato, tapaka (tabaco, do francês tabac, ), alikole (álcool), kafe (do francês café)), etc. são originários do Francês.

Quando os missionários chegaram, também apresentaram muitas palavras latinas, principalmente para fins religiosos. Jesus Cristo foi transformado em Sesu Kilisito, palavras como komunio (comunhão), kofesio (confisão), temonio (demonio, francês démon), e mesmo alguns termos não religiosos como hola (hora (lat. hora)) ; hisitolia (história (lat. historia)) foram introduzidos e são hoje da língua Wallisiana do dia-a-dia. No entanto, nem todos os termos religiosos cristãos vieram de línguas europeias. Os missionários também tentaram usar conceitos existentes em Wallisiano e dar-lhes um novo significado cristão. portanto Tohi tapu ("livro sagrado") se refere à Bíblia, aho tapu ("dia sagrado") significa Domingo Po Tapu ("noite sagrada") é o Natal. O conceito da Trindade foi traduzido para Tahitolu tapu, literalmente "um-três sagrado". Os missionários também introduziram os dias da semana na língua, usando os Nomes sequencialmente numerados no Estilo eclesiástico latino de denominação de dias com o termo geral feria (transliterado para felia), quase como “feira” do Português.

O Wallisiano também foi influenciado pelo Inglês, especialmente depois que o exército americano estabeleceu uma base militar na ilha em 1942. Palavras-chave como. puna (spoon), motoka (car, de motor car), famili (família), suka (sugar), peni (pen), tini (tin) etc. vieram do Inglês. No entanto, os termos oriundos do inglês começaram a entrar na língua da Wallis antes da Segunda Guerra Mundial, pois marinheiros e comerciantes já tinham contatos frequentes com a população local.

Amostra de texto[editar | editar código-fonte]

Canção

Tapu age mo te hau kua toka,

mo aliki fuli kua katoa,

kau viki te vaka nee logona,

ko te fuka o uvea katoa,

mole matou viki fuli atu,

te uhiga o te lomipeau,

tahi hina kupu e matou mau,

moo fakamaholo palalau.

Vocabulário[editar | editar código-fonte]

Correspondência fonêmica
Fonema Proto-Polinésio Tonganês Samoano Wallisiano Português
/ŋ/ *taŋata tangata tagata tagata pessoa
/s/ *sina hina sina hina grisalho
/ti/ *tiale siale tiale siale flor
/k/ *waka vaka vaʻa vaka canoa
/f/ *fafine fefine fafine fafine mulher
/ʔ/ *matuqa motuʻa matua matua pai / mãe
/r/ *rua ua lua lua dois
/l/ *tolu tolu tolu tolu três

Notas[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.