Lúcio Alberto Pinheiro dos Santos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Lúcio Alberto Pinheiro dos Santos
Nascimento 19 de abril de 1889
Morte 11 de novembro de 1950 (61 anos)
Cidadania Portugal
Ocupação filósofo, escritor

Lúcio Alberto Pinheiro dos Santos (Braga, 19 Abril 1889 - Rio de Janeiro, 11 Novembro 1950) foi um filósofo e professor Português[1], conhecido por criar o termo e escrever a primeira teoria da ritmanálise, focando-se nas suas dimensões fisiológicas. As suas ideias sobre a ritmanálise foram depois exploradas pelos filósofos Franceses Gaston Bachelard e Henri Lefebvre.[2][3]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascido em Braga a 19 de Abri de 1889, Lúcio Alberto Pinheiro dos Santos começou por estudar Direito na Universidade de Coimbra. Posteriormente mudou-se para Lisboa onde se dedicou ao ensino. Em 1917 emigrou para o Brasil, mas regressou em 1919 para ser Professor na Faculdade de Artes de Coimbra, de onde foi, ainda no mesmo ano, para a Faculdade de Artes do Porto. Enquanto professor, serviu também durante um curto período como deputado para o círculo de Guimarães, e entre 1923-26 foi o Chefe dos Serviços de Educação da Índia Portuguesa.[4]

Após o golpe de Estado de 28 de Maio de 1926, regressou ao exílio no Brasil. Publicou em 1931 o livro Ritmanálise, que não teve grande impacto na altura[4], mas influenciou fortemente Gaston Bachelard.[2] Morreu no Rio de Janeiro a 11 de Novembro de 1950.[4]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Pedro Baptista: "O Filósofo Fantasma", 2010
  2. a b Meyer, Kurt: "Rhythms, Streets, Cities" in Space, Difference, Everyday Life: Reading Henri Lefebvre, Routledge, 2008
  3. Cunha, Rodrigo Sobral: "Ritmanálise", 2012
  4. a b c University of Porto: "Teachers and students of the first Faculty of Arts of the University of Porto"

Ligações externas[editar | editar código-fonte]