La petite mort

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

La petite mort (em português: a pequena morte) se refere ao período refratário que ocorre depois do orgasmo. Este termo geralmente tem sido interpretado para descrever a perda da consciência ou desmaio pós-orgástico das pessoas em algumas experiências sexuais.[1]

De maneira mais ampla, pode se referir ao gasto espiritual que ocorre após o orgasmo, ou um curto período de melancolia ou transcendência, como resultado do gasto da "força vital":

"Morro sem morrer. Morro e meu corpo continua funcionando. O que realmente morre? [...] O que está em questão aqui é o regresso de uma morte morrida, mas que não nos matou. Trata-se do retorno da pequena morte, que estende e contrai num só ato, o corpo ainda vivo no qual penetra. Gozar não é morrer, mas repetir uma morte que não nos matou."[2]

Um estudo recente sobre os padrões de ativação do cérebro usando uma tomografia por emissão de positrões (TEP) dá certo apoio à experiência de "la petite mort".[3]

Referências

  1. The Psychoanalytic Quarterly, 21, 1952, No. 2. Int. J. Psycho-Anal., 34:353
  2. Louisy, de Limas (2014). La petit mort: transgressão e gozo erótico (Dissertação de Mestrado). Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). 123 páginas 
  3. Georgiadis J, Kortekaas R, Kuipers R, Nieuwenburg A, Pruim J, Reinders A, Holstege G (2006). «Regional cerebral blood flow changes associated with clitorally induced orgasm in healthy women». Eur J Neurosci. 24 (11): 3305–16. PMID 17156391. doi:10.1111/j.1460-9568.2006.05206.x 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Psychobiology of altered states of consciousness, Psychological Bulletin 2005, Vol. 131, No. 1, 98-127
  • Orgasmic aura originates from the right hemisphere, Neurology 2002;58:302-304
  • "Electroencephalographic laterality changes during human sexual orgasm", Archives of Sexual Behavior, Springer Netherlands, Vol. 5, #3, maio de 1976. Abstract: "Left and right parietal EEGs were recorded while seven subjects experienced sexual climax through self-stimulation. "[1]
  • EEG during masturbation and ejaculation. Archives of Sexual Behavior, Springer Netherlands, Vol. 14, #6, dezembro de 1985. Abstract: "...Examination of the literature shows little agreement among reported results of studies of EEG changes during orgasm."