Lixiviação

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Lixiviação é o processo de extração de uma substância presente em componentes sólidos através da sua dissolução num líquido. É um termo utilizado em vários campos da ciência, tal como a geologia, ciências do solo, metalurgia e química.

Lixiviação' porém é mais comumente associado ao processo de remoção pela água da camada de húmus resultante da decomposição do material orgânico proveniente de uma floresta. Tal fato se processa em locais de alta pluviosidade, onde ocorre a perda de nutrientes minerais, devido à lavagem do solo pela água da chuva.

O termo original refere-se à ação solubilizadora de água misturada com cinzas dissolvidas (lixívia) constituindo uma solução alcalina eficaz na limpeza de objetos, mas, em geoquímica ou geologia de modo geral, usa-se para indicar qualquer processo de extração ou solubilização seletiva de constituintes químicos de uma rocha, mineral, depósito sedimentar, solo, etc., pela ação de um fluido percolante[1] .

Nas regiões equatoriais, e nas áreas de clima úmido, com abundantes precipitações sazonais, verifica-se, com maior facilidade, os efeitos da lixiviação do solo. Dentre os componentes que são extraídos constam minerais solúveis, como fósforo, cálcio, nitrogênio, etc.

Em metalurgia, a lixiviação é utilizada na separação de metais com valor comercial de um outro minério associado, por meio de solução aquosa de maneira econômica, por dispensar o beneficiamento do minério e, em outros casos, é usada a chamada "lixiviação inversa" para se fazer a remoção de impurezas.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]