Louis Jean Pierre Vieillot

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Louis Jean Pierre Vieillot
Nascimento 10 de maio de 1748
Yvetot
Morte 24 de agosto de 1830
Sotteville-lès-Rouen
Residência França
Cidadania França
Ocupação biólogo, ornitólogo, naturalista, zoólogo

Louis Pierre Vieillot (Yvetot, 10 de Maio de 1748Sotteville-lès-Rouen, 24 de Agosto de 1830) foi ornitólogo francês. Vieillot é o autor das primeiras descrições científicas e nomes lineanos de várias aves, incluindo espécies que ele mesmo coletou nas Índias Ocidentais e na América do Norte e espécies sul-americanas descobertas mas não formalmente nomeadas por Félix de Azara e seu tradutor Sonnini de Manoncourt. Pelo menos 26 dos gêneros erguidos por Vieillot ainda estão em uso. Ele foi um dos primeiros ornitólogos a estudar as mudanças na plumagem e um dos primeiros a estudar aves vivas.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Vieillot nasceu em Yvetot. Ele representou os interesses comerciais de sua família em Saint-Domingue (Haiti) em Hispaniola, mas fugiu para os Estados Unidos durante as rebeliões haitianas que se seguiram à Revolução Francesa. A conselho de Buffon, ele coletou material para a Histoire naturelle des oiseaux de l'Amérique Septentrionale, cujos dois primeiros volumes foram publicados na França a partir de 1807.

Vieillot retornou à França pela última vez em 1798, onde o cargo que lhe foi criado no Bulletin des Lois deixou-lhe tempo suficiente para continuar seus estudos de história natural. Após a morte de Jean Baptiste Audebert, Vieillot viu as duas partes do "Oiseaux dorés" serem concluídas em 1802; sua própria Histoire naturelle des plus beaux oiseaux chanteurs de la zone torride apareceu em 1806.

A Analyze d'une nouvelle Ornithologie Elémentaire de Vieillot (1816) estabeleceu um novo sistema de classificação ornitológica, que ele aplicou com pequenas modificações em suas contribuições para o Nouveau Dictionnaire d'Histoire Naturelle (1816-19). Em 1820, Vieillot empreendeu a continuação do Tableau encyclopédique et méthodique, iniciado por Pierre Joseph Bonnaterre em 1790. Ele também publicou uma Ornithologie française (1823–30).[1]

Vieillot recebeu uma pensão do governo no último ano de sua vida, mas morreu relativamente desconhecido e na pobreza.

Vieillot é comemorado nos binômios de uma série de pássaros, como Lybius vieilloti e Saurothera vieilloti.

Trabalhos[editar | editar código-fonte]

  • Histoire naturelle des plus beaux oiseaux chanteurs de la zone torride. Dufour, Paris 1805.
  • Histoire naturelle des oiseaux de l'Amérique septentrionale. Desray, Paris 1807–1808.
  • Analyse d'une nouvelle ornithologie élémentaire. d'Éterville, Paris 1816.
  • Mémoire pour servir à l'histoire des oiseaux d'Europe. Turin 1816.
  • Ornithologie. Lanoe, Paris 1818.
  • Faune française ou Histoire naturelle, générale et particulière des animaux qui se trouvent en France. Le Vrault & Rapet, Paris, Strasbourg, Bruxelles, 1820–1830.
  • La galerie des oiseaux du cabinet d'histoire naturelle du jardin du roi. Aillard & Constant-Chantpie, Paris 1822–1825.
  • Ornithologie française ou Histoire naturelle, générale et particulière des oiseaux de France. Pelicier, Paris 1830.

Referências

  1. a b «Validate User». academic.oup.com. doi:10.2307/4080607. Consultado em 11 de maio de 2022