Músculo eretor do pelo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Músculo eretor do pelo
Base of Pilosebaceous Unit 10x.JPG
Latim m. arrector pili
Sistema pele


Os músculos eretores de cabelo,[1] são pequenos músculos ligados aos folículos capilares em mamíferos. A contração desses músculos faz com que os pêlos se arrepiem,[2] conhecido coloquialmente como arrepios (piloereção).[3]

Estrutura[editar | editar código-fonte]

Cada pelo eretor é composto por um feixe de fibras musculares lisas que se ligam a vários folículos (uma unidade folicular). Cada um é inervado por terminações nervosas simpáticas do sistema nervoso autônomo.[4] O músculo se liga ao nicho de células-tronco foliculares,[3][5] dividindo-se em sua extremidade profunda para circundar o folículo.[6]

Função[editar | editar código-fonte]

A contração do músculo é involuntária. Estresses como frio, medo etc. podem estimular o sistema nervoso simpático e, portanto, causar contração muscular.[4]

Isolamento térmico[editar | editar código-fonte]

Em muitos mamíferos, a contração dos músculos eretores do pelo ajuda a fornecer isolamento térmico.[4] O ar fica preso entre os pelos eretos, ajudando o animal a reter o calor.

Estabilidade do folículo capilar[editar | editar código-fonte]

Os músculos eretores dos pelos também estabilizam a base do folículo piloso .[5][6]

Significado clínico[editar | editar código-fonte]

Problemas de pele, como a hanseníase, podem danificar os músculos eretores do pêlo, evitando sua contração.[7]

Imagens adicionais[editar | editar código-fonte]

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. «Anatomy of the Skin | SEER Training». training.seer.cancer.gov. Consultado em 21 de janeiro de 2021 
  2. David H. Cormack (1 de junho de 2001). Essential histology. [S.l.]: Lippincott Williams & Wilkins. pp. 1–. ISBN 978-0-7817-1668-0. Consultado em 15 de maio de 2011 
  3. a b Fujiwara, Hironobu; Ferreira, Manuela; Donati, Giacomo; Marciano, Denise K.; Linton, James M.; Sato, Yuya; Hartner, Andrea; Sekiguchi, Kiyotoshi; Reichardt, Louis F. (18 de fevereiro de 2011). «The Basement Membrane of Hair Follicle Stem Cells Is a Muscle Cell Niche». Cell (em inglês). 144: 577–589. ISSN 0092-8674. PMC 3056115Acessível livremente. PMID 21335239. doi:10.1016/j.cell.2011.01.014 
  4. a b c Pascalau, Raluca; Kuruvilla, Rejji (agosto de 2020). «A Hairy End to a Chilling Event». Cell. 182: 539–541. ISSN 0092-8674. PMID 32763185. doi:10.1016/j.cell.2020.07.004 
  5. a b Torkamani, Niloufar; Rufaut, Nicholas; Jones, Leslie; Sinclair, Rodney (1 de janeiro de 2017). «The arrector pili muscle, the bridge between the follicular stem cell niche and the interfollicular epidermis». Anatomical Science International (em inglês). 92: 151–158. ISSN 1447-073X. PMID 27473595. doi:10.1007/s12565-016-0359-5 
  6. a b Poblet, Enrique; Jiménez, Francisco; Ortega, Francisco (agosto de 2004). «The contribution of the arrector pili muscle and sebaceous glands to the follicular unit structure». Journal of the American Academy of Dermatology. 51: 217–222. ISSN 0190-9622. PMID 15280840. doi:10.1016/j.jaad.2004.01.054 
  7. Budhiraja, Virendra; Rastogi, Rakhi; Khare, Satyam; Khare, Anjali; Krishna, Arvind (1 de setembro de 2010). «Histopathological changes in the arrector pili muscle of normal appearing skin in leprosy patients». International Journal of Infectious Diseases (em inglês). 14: e70–e72. ISSN 1201-9712. PMID 20207571. doi:10.1016/j.ijid.2009.11.018Acessível livremente