Gazã

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Mahmud Ghazan)
Ir para: navegação, pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, comprometendo a sua verificabilidade (desde outubro de 2017).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Mamude Gazã
Gazã (centro) nasceu budista e converteu-se ao islamismo como parte de um acordo militar para acender ao trono. Iluminura de Raxide Adim de Hamadã
Ilcã do Ilcanato
Reinado 1295-11 de maio de 1304
Consorte de Cocacin
Antecessor(a) Baydu
Sucessor(a) Uljeitu
 
Casa Borjigin
Nascimento 4 de novembro de 1271
Morte 11 de maio de 1304
Religião Budismo, depois islamismo sunita
Pai Arghun
Mãe Cutluque Catum


Mamude Gazã, Maomé Gazã ou Gazã Cã[1] (Mahmud Ghazan; em mongol: Газан хаан; 5 de novembro de 1271 – 11 de maio de 1304), também conhecido pelo ocidente Casano (em latim: Casanus)[2], foi o sétimo governante do Ilcanato no Irã entre 1295 a 1304. Gazã era o filho de Arghun e uma mãe cristã. Durante sua juventude, ao lado de seu irmão Oljeitu, ele era um seguidor do budismo, a qual era a religião dominante do Ilcanato nos primeiros anos.

Conversão ao Islamismo[editar | editar código-fonte]

No entanto, em 1292, sob o conselho de Raxide Adim, Gazã se converteu ao Islamismo sunita. Junto de se sua conversão, Gazã mudou seu primeiro nome para o nome árabe Mamude. Até essa data, sob o reinado dos cãs posteriores a Hulagu, a maioria muçulmana era oprimida diante dos Imperadores Budistas, os quais promoviam em seu reino o Budismo Tibetano e o Nestorianismo. No entanto, com a conversão de Gazã, o Islã novamente ascendeu, e budistas e cristãos passaram a ser perseguidos.

Reinado[editar | editar código-fonte]

Após tomar o poder de Baydu em 1295, Gazã destruiu templos budistas e obrigou os budistas de seu domínio a se converterem ao Islã ou irem embora. Os cristãos também foram perseguidos. Mesmo com sua conversão, Gazã estimulou a cultura original arcaica mongol a florescer. Também tolerou os xiitas. Após o falecimento de Cublai em 1294, Gazã passou a se denominar cã, ao contrário de seus antecessores que se denominavam ilcãs, dessa forma rompendo com todo e qualquer laço com o Grão-Canato na China e suas influências.

No plano externo Gazã empreendeu novas campanhas contra os mamelucos na Síria em 1299, 1301 e 1304. Na primeira investida, após sucessos iniciais, tendo Damasco sendo destruída pelos mongóis, foi detido na Batalha de Uádi Alcazandar. As outras duas expedições foram igualmente mal-sucedidas. Faleceu em 1304, sendo sucedido por seu irmão Oljeitu, o qual continuou com a adoção do Islã, e depois por seu sobrinho Abu Saíde e sobrinha Sati Begue. Sua principal esposa durante sua vida foi Cocecin.

Precedido por
Baydu
Ilcanato
12951304
Sucedido por
Oljeitu

Referências

  1. Editores 1967, p. 595.
  2. Schein 1979, p. 806.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Editores. Enciclopédia brasileira mérito Vol. IX. São Paulo: Editôra Mérito S. A. 
  • Schein, Sylvia (1979). «Gesta Dei per Mongolos 1300. The Genesis of a Non-Event». The English Historical Review. 94 (373). pp. 805–819. JSTOR 565554. doi:10.1093/ehr/XCIV.CCCLXXIII.805