María Lionza

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Estátua localizada na rodovia Francisco Fajardo, leste-oeste Venezuela.

María Lionza é o nome de uma figura mitológica da Venezuela, centro de um culto que reúne elementos das religiões indígenas, do espiritualismo, das religiões afro-americanas e do catolicismo.

O culto de María Lionza encontra-se difundido um pouco por toda a Venezuela, mas o seu centro é o chamado "Cerro de María Lionza" no estado de Yaracuy, que integra uma formação montanhosa de nome Macizo de Nirgua. Este local, caracterizado pela sua intensa vegetação, é de alvo de peregrinações por parte dos participantes no culto, sobretudo na época da Semana Santa ou no dia 12 de Outubro (dia que até pouco tempo celebrava a chegada de Cristóvão Colombo à América, tendo sido readaptado como "Dia da Raça").

A nível iconográfico, María Lionza é representada como uma mulher com um vestido azul, com jóias e plumas, cavalgando uma anta, sendo acompanhada por animais selvagens como pumas e jaguares.

O ritual de Maria Lionza, conhecido como "quibayo" é visto por muitos como um ritual de magia negra. O ritual é realizado em montanhas, identificadas pelos fiéis como "encantadas". O objetivo do Quibayo é a purificação dos fiéis, que seria atingida através da incorporação de alguns espíritos e entidades, que seriam os responsáveis pelo auto flagelo da pessoa em transe.




Ícone de esboço Este artigo sobre religião é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.