Maria do Couto Maia-Lopes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Maria do Couto Maia-Lopes (24 de Outubro de 189025 de Julho de 2005) foi, até hoje, a segunda mais velha pessoa portuguesa de sempre e uma das poucas supercentenárias no mundo. Morava em Grijó, perto de Vila Nova de Gaia. Faleceu com a idade de 114 anos.

Lembrava-se do dia em que o último rei de Portugal, D.Manuel II, visitou a localidade próxima de Espinho, em 23 de Novembro de 1908.

Encontrava-se praticamente cega e surda, estando acamada nos últimos três anos de vida, desde um acidente com água a ferver.

Teve oito filhos, sete netos, dez bisnetos e cinco trinetos e era viúva desde 1942. Como curiosidade, uma das suas bisnetas casou com um neto do homem mais velho de Portugal.[1]

Em 2007, era a 26ª pessoa mais velha de sempre à data da morte.

Precedido por
José Ferreira de Andrade
Pessoa mais velha de Portugal
22 de Fevereiro de 200025 de Julho de 2005
Sucedido por
Maria de Jesus
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.