Marino Lejarreta

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Marino Lejarreta
Marino Lejarreta.jpg
Biografia
Nascimento
Pseudónimo
Berrizko ihiaVisualizar e editar dados no Wikidata
Cidadania
Atividade
Outras informações
Equipa
Teka (en) (-)Visualizar e editar dados no Wikidata
Distinção
Q60448888 ()Visualizar e editar dados no Wikidata
Marinho Lejarreta

Marinho Lejarreta Arrizabalaga (Bérriz, Biscaia, Espanha, 14 de maio de 1957), apelidado O Junco de Bérriz, é um exciclista espanhol, profissional entre os anos 1979 e 1992, durante os quais conseguiu 52 vitórias, fez parte da época na que começou a se cultivar o ciclismo espanhol com a retransmissão ao vivo do final das etapas desde 1983. A época ou geração que ele representa está formada por ciclistas como Ángel Arroyo ou José Luis Laguía, e a acabou liderando Pedro Delgado com o passo do tempo.

O seu irmão, Ismael Lejarreta (1953), e o seu sobrinho, Iñaki Lejarreta (1983-2012), também foram ciclistas profissionais.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Desportivamente era um corredor de grande classe, ciclista de grande fundo, escalador por natureza e que a partir da sua estadia em Itália melhorou em contrarrelógio até ao ponto de acabar sendo uma das suas melhores capacidades. Marino militou em sete equipas: Novostil-Helios, Teka, Alfa Lum, Alpilatte-Olmo, Seat-Orbea, Caixa Rural-Orbea e ONZE. Pode-se-lhe considerar como a pedra angular do ONZE ao ser o primeiro capitão da equipa. Dedicou grande parte da sua carreira a disputar as Grandes Voltas, realizando frequentemente boas actuações e ganhando etapas nas três. Ao princípio da sua carreira desportiva, competiu sobretudo na Volta a Espanha, a qual ganhou em 1982. Foi um grande aficionado ao Giro d'Italia, onde sempre conseguiu bons resultados. Para o ocaso da sua carreira, começou a correr também o Tour, correndo e finalizando, em várias ocasiões, as três Grandes Voltas.

Na Volta a Espanha, foi ganhador em 1982 graças à desclassificação de Ángel Arroyo por dopagem. Também terminou segundo em 1983 e terceiro em 1991, na que venceu ao seu colega de equipa Melchor Mauri. Também ficou 5º em 1980 e 1986 e conseguiu cinco triunfos parciais.

No Giro d'Italia, onde conseguiu dois triunfos parciais, esteve perto várias vezes de subir ao pódio, ainda que nunca o conseguiu. Foi 4.º em 1984 e 1987, 5º em 1985 e 1991, 6.º em 1983, 7.º em 1990 e 10.º em 1989.

No Tour de France conseguiu só uma vitória de etapa, mas foi 5.º em 1989 e 1990, 10.º em 1987, 16.º em 1988 e 18.º em 1986.

Ganhou três edições da Clássica de San Sebastián, e em 1982 esteve muito perto de ganhar o Campeonato do Mundo de ciclismo, marchando escapado nos últimos quilómetros, ainda que no final foi neutralizado e só pôde ser quinto.

Em abril de 1992 sofreu uma aparatosa queda que lhe manteve seis meses afastado da competição, durante o decorrer da 38.ª edição do Grande Prêmio de Primavera (agora Klasika Primavera), em Amorebieta (Biscaia). Ainda que voltou à competição em outubro do mesmo ano na Volta à Rioja, Lejarreta abandonou o ciclismo profissional ao termo dessa temporada.

Depois de ser um dos directores da desaparecida equipa ONCE, foi comentarista nas retransmissões ciclistas da EITB e reside em Durango.

Palmarés[editar | editar código-fonte]

1980

1981

1982

1983

1984

1985

  • Volta Ciclista a Osorno (Palencia)

1986

1987

1988

1989

1990

1991

1992

  • Subida ao Txitxarro

Resultados em Grandes Voltas e Campeonato do Mundo[editar | editar código-fonte]

Durante a sua carreira desportiva tem conseguido os seguintes postos nas Grandes Voltas e nos Campeonatos do Mundo em estrada:[2]

Carreira 1979 1980 1981 1982 1983 1984 1985 1986 1987 1988 1989 1990 1991 1992
Giro d'Italia - - - - - - 10º -
Tour de France - - 35º 37º - - - 18º 10º 16º 53º -
Volta a Espanha 30º Ab. Ab. - 34º Ab. 19º 55º -
Mundial em Estrada MaillotMundial.PNG - Ab. 15º 25º 13º 57º 56º 38º 74º 11º 21º 49º -

-: Não participa
Ab.: Abandono

Referências

  1. «Teve milagre Lejarreta!». Mundo Desportivo (em espanhol). 10 de setembro de 1980. Consultado em 12 de julho de 2018 
  2. «Palmarés completo de Marino Lejarreta». Urtekaria. 22 de novembro de 2006. Consultado em 9 de novembro de 2009. Arquivado do original em 8 de outubro de 2008 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]