Marjorie Day

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Marjorie Day
Outros nomes Marjory Day
Nascimento 17 de julho de 1889[1]
Auckland, Nova Zelândia
Nacionalidade Nova Zelândia Neozelandesa
Morte ?
Ocupação atriz
IMDb: (inglês)

Marjorie Day, algumas vezes creditada Marjory Day, foi uma atriz de teatro e de cinema neozelandesa que foi radicada ao cinema e ao teatro inglês e ao cinema estadunidense da era do cinema mudo. Day atuou em diversas peças na Inglaterra, e em 11 filmes entre 1916 e 1941, um deles estadunidense, o seriado The Fighting Marine (1922).[2]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Teatro[editar | editar código-fonte]

Nasceu em Auckland, Nova Zelândia em 17 de julho de 1889, e foi para Londres, estudar teatro. Sua primeira atuação em Londres foi na peça A Little Unfairy Princess, em 1902, no Shaftesbury Theatre, mas sua primeira oportunidade foi com a companhia de Drury Lane, com a peça The Prodigal Son, em 1905, em Londres. Depois atuou na peça Cinderella e em seguida nas peças Castles in Spain (1906), The Bondsman (1906), The Judgement of Pharaoh, The Christian. Em 1907, fez sucesso em The Devil’s Disciple, de George Bernard Shaw, em que personificou Essie.[3] Em seguida atuou nas peças The Woman of Kronstadt, The Marriages of Mayfair, The Whip, The Strong People e Mount Pleasant.[4]

Atuou em 1913 na comédia Tantrums, uma versão de The Taming of the Shrew,[5] quando fez a personagem Virgínia Halstead. Atuou em várias peças em Londres nos anos 1920, tais como The Right to Strike (1920)[6] e The Ware Case (1924)[7], no Royal Adelphi Theatre.

Cinema[editar | editar código-fonte]

Na área cinematográfica, seu primeiro filme foi a comédia inglesa When Knights Were Bold, em 1916, pela London Film Productions. Depois de algumas produções inglesas como The Woman Who Was Nothing (1917), The Story of the Rosary (1920) e The Glorious Adventure (1922), atuou num único filme estadunidense, o seriado The Fighting Marine, em 1926, pela Pathé, ao lado de Gene Tunney e Walter Miller. dirigido por Spencer Gordon Bennet.

Só voltaria a atuar novamente no cinema em 1941, no filme inglês Facing the Music, seu único filme sonoro, num pequeno papel não creditado.[8]

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Peças[editar | editar código-fonte]

  • A Little Unfairy Princess (Londres, 1902)[11]
  • The Prodigal Son (1905)
  • Castles in Spain (1906)
  • The Bondsman (1906)[12]
  • The Devil’s Disciple (Londres, 1907)[13] [14]
  • The Harbour Watch (Londres, 1912)[15]
  • Tantrums (Londres, 1912 - 1913)[16][17]
  • The Right to Strike, 1920[18]
  • Within the Law, 1920[18]
  • Bluebeard’s Eighth Wife (Bristol, 1923)[19]
  • The Ware Case (1924)[18]
  • The Lullaby, 1925[18]
  • By-Ways, 1926[18]
  • Where the Rainbow Ends (1932)[20]

Notas e referências[editar | editar código-fonte]

  1. Outras referências citam seu nascimento em 1887. In [1]
  2. Marjorie Day no IMDB
  3. Fulton History
  4. Dominion, Volume 6, 28 de dezembro de 1912, p. 9
  5. New Zealand Herald, Volume XLIX, 2 de dezembro de 1912, p. 4
  6. Press, Volume LVI, 30 de novembro de 1920, p. 10
  7. The Ware Case
  8. Marjorie Day no Cyranos
  9. The New Clown no MSN
  10. New York Times
  11. Auckland Star, Volume XLIV, 25 de janeiro de 1913, p. 14
  12. The Advertiser, 27 de outubro de 1906
  13. The Devil’s Disciple
  14. Theatricalia
  15. The Harbour Watch no Theatriclai
  16. Wanganui Chronicle, 3 de janeiro de 1913, p. 7
  17. Votes For Women - 1 nov. 1912
  18. a b c d e WEARING, J. P. The London Stage 1920-1929: A Calendar of Productions, Performers, and Personnel, Reino Unido: Rowman & Littlefield, 2014. p.299
  19. Bluebeard’s no Theatricalia
  20. Theatricalia

Ligações externas[editar | editar código-fonte]