Martinho Ndafa Kabi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Martinho Ndafa Kabi
Nascimento 17 de setembro de 1957 (62 anos)
Bissau
Cidadania Guiné-Bissau
Ocupação político

Martinho Ndafa Kabi (Nhacra, 17 de setembro de 1957[1]) é um político da Guiné-Bissau. Foi primeiro-ministro do seu país de 13 de abril de 2007[2] a 5 de agosto de 2008.[3] É um dos líderes do Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC).[1]

Ocupou diversos cargos internos em seu partido até tornar-se Ministro de Energia e Recursos Naturais do governo de Carlos Gomes Júnior, de maio de 2004 a abril de 2005, quando tornou-se Ministro da Defesa.[4] Após a demissão de Aristides Gomes, Kabi é nomeado primeiro-ministro pelo Presidente João Bernardo Vieira com o apoio do seu partido, do Partido da Renovação Social (PRS) e do Partido Unido Social Democrático (PUSD). Foi empossado em 13 de abril[2], com um governo composto por vinte ministros. A composição do governo causou tensões entre a coalizão, já que a grande maioria dos postos foi para o PAIGC. A situação foi resolvida em 18 de outubro com a nomeação de Certorio Biote como ministro do Interior. Em agosto de 2008, foi demitido pelo presidente, que nomeou um novo governo liderado por Carlos Correia.[5]

Referências

  1. a b Perfil na web do PAIGC Arquivado em 3 de setembro de 2007, no Wayback Machine..
  2. a b "Martinho Ndafa Kabi takes office as Guinea Bissau PM", Xinhua (People's Daily Online), 14 de abril de 2007.
  3. «Uncertain future as President dissolves government». Irin Africa. 6 de agosto de 2008 
  4. "Nino Vieira says he will contest presidential election", 18 de abril de 2005.
  5. Segundo a Monografía de Guinea-Bissau del Ministerio de Asuntos Exteriores y Cooperación de España
Precedido por
Aristides Gomes
Emblem of Guinea-Bissau.svg
Primeiro-ministro da Guiné-Bissau

2007 - 2008
Sucedido por
Carlos Correia