Michele Bonelli

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Carlo Michele Bonelli, Cardinal Alessandrino, O.P. (25 de Novembro de 1541– 28 de Março de 1598) foi um diplomata papal com uma distinta carreira de duas décadas iniciada em 1571.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascido em Bosco Marengo, era filho de Marco Bonelli, nobre de Alexandria, no Piemonte, batizado em 1566, e de Dominina de' Gibertis, sobrinha do Papa Pio V. Era tio-avô de Carlo Cardinal Bonelli.

Ingressou na predicante Ordem Dominicana, tomando o nome Michele, e professou no convento de Santa Maria sopra Minerva, Roma, em 1559. Estudou no Collegio Germanico e foi professor de teologia na Universidade de Perúgia antes de ser chamado a Roma pelo tio-avô, o Papa Pio V.

Foi nomeado cardeal-padre no consistório de 6 de Março de 1566, recebendo o solidéu vermelho e o título de Santa Maria sopra Minerva duas semanas depois. Foi ainda Grande Prior de Roma da Ordem Soberana de Malta, em Junho de 1568.

Em 3 de Dezembro de 1568 passou a ser o Camerlengo, posto que teve até 10 de Maio de 1570, quando resignou para que o tio o pudesse vender ao Cardeal Luigi Cornaro por 70 000 scudi, para obter fundos para a guerra contra os turcos [1] (ver Batalha de Lepanto. Em recompensa foi-lhe dada a sinecura de Abade de San Michele di Chiusi.

Tomou a iniciativa de expansão de Roma (a via Alessandrina comemora o seu título) que seria dividida entre os mosteiros de S.Basilio, S.Adriano e SS.Cosma e Damiano, e plantado com pomares.

A sua família foi honrada durante o pontificado de Pio V: o seu irmão Girolamo, comandante da Guarda Papal, foi feito marquês de Cassano d’Adda (1572), e o seu irmão Michele, duque de Salci (1569), como ajudante de Emanuel Filiberto, Duque de Sabóia (1573).

O "Cardinale Alessandrino", como usava—título imaginado por Pio V como cardeal— foi enviado como legado papal aos reis de Espanha e Portugal, em 18 de Junho de 1571, com a honraria de cardinal nipote, na companhia de Francesco Borgia, e com legado com poderes discricinários a latere ao rei de França, em 16 de Novembro de 1571.

Referências[editar | editar código-fonte]