Diocese de Roma

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Diocese de Roma
Dioecesis Urbis
Estatísticas
População 2 454 000 católicos
Arciprestados Arquibasílica de São João de Latrão
Basílica de São Pedro
Basílica de São Paulo Extramuros
Basílica de Santa Maria Maior
Basílica de São Francisco de Assis
Basílica de Santa Maria dos Anjos
Sacerdotes 8.762
Informação
Criação Século I
Catedral Basílica de São João de Latrão
Padroeiro(a) Santos Pedro e Paulo
Governo da diocese
Bispo Papa Francisco
Bispo auxiliar Dom Guerino Di Tora
Dom Daniele Libanori
Dom Gianpiero Palmieri
Dom Paolo Ricciardi
Dom Gianrico Ruzza
Dom Paolo Selvadagi
Vigário-geral Dom AngeloCardeal De Donatis
Bispo emérito Papa Bento XVI
Dom Camillo Cardeal Ruini
Dom Agostino Cardeal Vallini
Dom Enzo Dieci
Dom Paolino Schiavon
Dom Jaime Cesar Ortiz de Lazcano Piquer
Página oficial www.vicariatusurbis.org


A Diocese de Roma (em latim: Diœcesis Urbis ou Diœcesis Romana; em italiano: Diocesi di Roma), também conhecida como Santa Sé, Sé Apostólica, Sé de Pedro ou Igreja de Roma é uma diocese da Igreja Católica, em Roma, Itália.[1] A diocese é a sede do bispo de Roma ou Papa, que é o Sumo Pontífice e chefe da Igreja Católica. Fundada no século I, sendo o administrador atual o Papa Francisco, eleito em 13 de março de 2013.

Bispo[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Papa e Títulos do Bispo de Roma

O bispo da Diocese de Roma, é apontado como o sucessor de São Pedro e devido a isso, ele tem uma série de títulos:

Origens[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: História do papado

A melhor evidência disponível para as origens da igreja romana é a Epístola aos Romanos de São Paulo. Isso indica que a igreja foi estabelecida, provavelmente pelo início da década de 40, e que São Pedro tornou-se associado a esta igreja em algum momento entre os anos 58 e início dos anos 60,[3] sendo que:

Os anos finais do primeiro século e os primeiros anos do segundo constituem o "período pós-apóstolico", tal como refletido nos escritos extrabíblicos de Clemente de Roma e Inácio de Antioquia. Assim, a igreja em Roma estava exercendo uma pastoral que se estendeu além de sua própria comunidade, tendo substituído Jerusalém como o centro prático da Igreja universal crescente. Apelos foram feitos para Pedro e Paulo, com quem a igreja romana foi mais identificada.[3]

Diocese[editar | editar código-fonte]

O território da diocese abrange todo o Estado do Vaticano e a cidade de Roma. As duas partes da diocese são administradas por dois vigários do Papa:

A diocese abrange um território de 881 quilômetros quadrados,[5] contendo 341 paróquias, dos quais 337 estão ativas. Há 336 paróquias na cidade de Roma[6] e uma, a Paróquia de Santa Ana, na Cidade do Vaticano.[7] A diocese tem 238 cardeais, e 1187 clérigos romanos.[8]

Arquidiocese[editar | editar código-fonte]

Sé suburbicária[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Sé suburbicária

Seis das dioceses da Província Romana tem o título de “suburbicárias” (Latim sub urbe, com o significado de "assunto para a cidade [de Roma]"). Cada diocese suburbicária tem uma Cardeal-bispo que a preside:

  1. Óstia (o seu Cardeal Bispo é eleito Decano do Colégio dos Cardeais).
  2. Porto-Santa Rufina
  3. Albano
  4. Frascati
  5. Palestrina
  6. Sabina-Poggio Mirteto
  7. Velletri-Segni

Lista de sufragâneas[editar | editar código-fonte]

Há também outras dioceses ligadas à Sé Metropolitana de Roma:

Lista de bispos[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Lista de papas

Referências

  1. Catholic Encyclopedia article: Rome
  2. CNS News article Arquivado em 2006-03-08 na Biblioteca do Congresso
  3. a b McBrien, The Church (New York: HarperOne, 2008) cf pp 6, 45
  4. «Canon 475». 1983 Code of Canon Law. Consultado em 3 de dezembro de 2007 
  5. «Entry at catholic-hierarchy.org» 
  6. «List of Parishes in the Vicariate» 
  7. «Homily of John Paul II to St. Anne's Parish» 
  8. «Diocesan website, listing of personnel» 

Ver também[editar | editar código-fonte]