Igreja Ortodoxa Búlgara

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Igreja Ortodoxa Búlgara
Catedral de Alexandre Nevsky

Catedral de Alexander Nevsky
Fundador Santo André e São Bóris da Bulgária
Independência 870-1018
1185-1393
1018-1767
1872-present
Reconhecimento 870 (autocefalia)
927 (primeiro patriarcado)
1945 (segundo patriarcado)
Primaz Neófito da Bulgária
Sede Sófia,  Bulgária
Território  Bulgária
Posses  Estados Unidos
 Canadá
 Austrália
 Argentina
Europa Ocidental
Língua búlgaro, eslavônico
Adeptos 8 a 10 milhões
Site www.bg-patriarshia.bg

A Igreja Ortodoxa Búlgara (Българска православна църква, Bălgarska pravoslavna cărkva, em búlgaro) é uma jurisdição autocéfala da Igreja Ortodoxa que reúne aproximadamente oito a dez milhões de fiéis, a maioria dentro da Bulgária, de onde é a igreja nacional.[1] Desde o reconhecimento de autocefalia no ano de 927 pelo Patriarcado Ecumênico de Constantinopla, a Igreja é governada pelo Patriarca de Toda Bulgária, posição desde 2013 ocupada por Neófito.

Fundação[editar | editar código-fonte]

O cristianismo no país data da era apostólica, com os apóstolos Santo André e São Paulo levando a fé às primeiras comunidades nos Balcãs. Pelo início do século IV, algumas cidades da atual Bulgária já figuravam entre os principais centros do Império Romano, como em Serdica, Filipópolis e Odesso. As incursões de povos pagãos entre os séculos IV e VII danificaram severamente a estrutura da Igreja na região, mas não puderam destruí-la. Por meados do século IX, os eslavos na região já haviam sido largamente cristianizados, com relativo sucesso da crença entre a nobreza protobúlgara, até que, em 865, o Bóris I da Bulgária converteu-se e adotou-a como religião do Estado. São Bóris, hoje tido como patrono da Igreja ao lado de apóstolo André, oscilou entre a submissão eclesial a Roma e a Constantinopla até que, cinco anos depois, o Quarto Concílio de Constantinopla reconheceu o episcopado búlgaro como autônomo e sediado em Pliska.

Atritos posteriores entre o Império Búlgaro e o Império Bizantino resultaram em tentativa de submissão Constantinopla seguida por uma declaração de independência e de Patriarcado em 919. Em 927, as reivindicações são reconhecidas por Constantinopla.[2][3] Não obstante, a Igreja Ortodoxa tem um histórico instável de autocefalia dentro do território búlgaro.

Organização[editar | editar código-fonte]

A Igreja se divide em treze eparquias em território Búlgaro:

Também há duas eparquias no exterior:

A Igreja conta com cerca de 1500 padres distribuídos por 2600 paróquias, e com cerca de dois mil monges homens e quase o mesmo número de monjas distribuídos por 120 monastérios. Há pelo menos um monastério sob a Igreja da Bulgária no exterior, em Harper Woods.[5] O Mosteiro de Zograf, no Monte Atos, segue a tradição ortodoxa búlgara, mas está sob o Patriarcado Ecumênico de Constantinopla, como de praxe na ilha.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Igreja Ortodoxa Búlgara

Referências

  1. Hall, Richard C. (1 January 2012). The Modern Balkans: A History Reaktion Books [S.l.] p. 51. ISBN 9781780230061. «While this did not restore the Ohrid patriarchate, it did acknowledge the separation between the Orthodox church in Constantinople and the Bulgarian Orthodox church, which was now free to develop as the Bulgarian national church.» 
  2. [1] Kiminas, D. (2009). The Ecumenical Patriarchate. Wildside Press LLC. p. 15
  3. [2] GENOV, R., & KALKANDJIEVA, D. (2007). Religion and Irreligion in Bulgaria: How Religious Are the Bulgarians? Religion and power in Europe: conflict and convergence, 257.
  4. Eparchy of Central and Western Europe
  5. St. Sabbas the Sanctified Orthodox Monastery