Igreja Ortodoxa na América

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Igreja Ortodoxa na América
Pravoslavná církev Ameriky.jpg

Fundador Monges russos em 1794
Independência 1970
Reconhecimento parcial
Primaz Metropolita Tikhon (Mollard)
Sede Primaz Washington
Território  Estados Unidos
 Canadá
Posses  México
 Austrália
Língua inglês, eslavo eclesiástico, espanhol
Adeptos 84900 nos Estados Unidos[1]
Site oca.org

A Igreja Ortodoxa na América (em inglês: Orthodox Church in America) é uma jurisdição ortodoxa da América do Norte. Originalmente composta por imigrantes russos, hoje abrange outras etnias e ritos litúrgicos (orientais ou ocidentais). Em 1970, recebeu o status de autocefalia da Igreja Ortodoxa Russa[2][3], mas nem todas as Igrejas Ortodoxas a reconhecem, estas compreendendo-a como uma jurisdição autônoma do Patriarcado de Moscou.

História[editar | editar código-fonte]

A história da Ortodoxia no continente americano começa em 1794 no Alasca, à época ainda parte da América Russa, quando oito monges russos estabelecem lá a primeira missão, batizando aleutas na Ilha Kodiak. Dois anos depois, a missão se torna uma sé episcopal, elegendo Joasaph (Bolotov) Bispo de Kodiak.[4] A sé é fechada em 1811, mas é reaberta em 1840, com a nomeação de Ioann (Veniaminov) como Bispo de Kamchatka, Curilas e das Ilhas Aleutas. Em 1850, Inocêncio do Alasca é feito arcebispo. Hoje, Inocêncio é proclamado santo, dito "Iluminador dos Aleutas e Apóstolo das Américas".[5]

Em 1867, com a compra do Alasca pelos Estados Unidos, a missão se torna uma Diocese do Alasca e das Ilhas Aleutas em separado. Um ano depois, abre a primeira igreja continental, na Califórnia, e, em 1872, a sede da diocese é movida para San Francisco, e, em 1900, torna-se a Diocese dos Aleutas e da América do Norte. Em 1905, move-se para Nova Iorque.

Após a Revolução Russa, há uma onda de igrejas se tornando independentes na América do Norte, como a Igreja Ortodoxa Russa no Exterior, a Igreja Ortodoxa Ucraniana do Canadá e a Arquidiocese Grega da América. A Diocese dos Aleutas e da América do Norte, por sua vez, vem a chamar-se Igreja Greco-Católica Russa na América. Em 1970, a igreja recebe autocefalia do Patriarca Alexei I de Moscou e torna-se a Igreja Ortodoxa na América[2][3]. [6] Hoje, tal arranjo administrativo somente é reconhecido pela Igreja Ortodoxa Russa, a Búlgara, a Georgiana, a Polonesa e a Tcheca e Eslovaca, mas o restante das jurisdições canônicas a reconhece como canônica e tem seus sacramentos como válidos.

No Brasil[editar | editar código-fonte]

A Paróquia Santa Mártir Zenaide, no Rio de Janeiro, se retirou da Igreja Ortodoxa Russa no Exterior e foi recebida pela Igreja Ortodoxa na América em 1976, em 1998 foi recebida no Patriarcado de Moscou, no qual hoje se encontra[7].

Referências

  1. Krindatch, A. (2011). Atlas of american orthodox christian churches. (p. 68). Brookline,MA: Holy Cross Orthodox Press.
  2. a b «Agreement on the Autocephaly for the Orthodox Church in America». www.oca.org. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  3. a b «Tomos of Autocephaly». www.oca.org. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  4. «Biography of Bishop Joasaph (Bolotov)». Consultado em 15 de dezembro de 2006. Arquivado do original em 4 de outubro de 2006 
  5. Stokoe, Mark and Leonid Kishkovsky. Orthodox Christians in North America 1794–1994. Orthodox Church in America, 1995. ISBN 0-86642-053-3
  6. «Synopsis of the 14th All-American Sobor / 1st All-American Council». Consultado em 17 de dezembro de 2006. Arquivado do original em 4 de setembro de 2006  |deadurl= e |urlmorta= redundantes (ajuda)
  7. «Historia da Paroquia». Paróquia Santa Zenáide. 20 de outubro de 2015. Consultado em 12 de agosto de 2020 
Ícone de esboço Este artigo sobre o cristianismo ortodoxo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.