Igreja Ortodoxa Grega de Alexandria

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Igreja Ortodoxa Grega de Alexandria
Teodoro II

Teodoro II
Fundador São Marcos
Independência Período Apostólico
Reconhecimento 451 d.C. como igreja separada da Igreja Ortodoxa Copta
Primaz Teodoro II de Alexandria
Sede Primaz Egito
Território África
Posses África
Língua Grego koiné, árabe, inglês, francês, dialetos africanos
Adeptos 250-300 mil egípcios[1]
1,2 milhão de nativos africanos
150 mil expatriados na África
Site www.patriarchateofalexandria.com

A Igreja Ortodoxa Grega de Alexandria, também conhecida como Patriarcado de Alexandria e toda África (em grego: Πατριαρχεῖον Ἀλεξανδρείας καὶ πάσης Ἀφρικῆς, Patriarcheîon Alexandreías kaì pásēs Aphrikês) é uma Igreja Ortodoxa Grega autocéfala dentro da ampla comunhão das Igrejas Ortodoxas.

Oficialmente, ela é chamada de Patriarcado Grego Ortodoxo de Alexandria para distingui-la da Patriarcado Ortodoxo Copta de Alexandria, ortodoxa oriental. Membros desta igreja já foram conhecidos como "Melquitas" (realistas, fiéis ao imperador de Constantinopla)[2] após o cisma que se seguiu ao Concílio de Calcedônia em 451.

Líder da Igreja[editar | editar código-fonte]

O primaz e principal bispo da Igreja Ortodoxa Grega de Alexandria é o Papa e Patriarca de Alexandria e toda África, posto atualmente de Teodoro II. Seu título completo é "Sua Mais Divina Beatitude, o Papa e Patriarca da Grande Cidade de Alexandria, Líbia, Pentápolis, Etiópia, todas as terras do Egito e toda a África, Pai dos Pais, Pastor dos Pastores, Prelado dos Prelados, décimo-terceiro Apóstolo e Juíz Ecumênico."[3] Como o Papa Ortodoxo Copta de Alexandria e o Patriarca Católico Copta de Alexandria, ele alega a sucessão apostólica de Marcos, o evangelista, na função de bispo de Alexandria, que fundou a Igreja da cidade no século I e, portanto, iniciou o Cristianismo na África. É também um dos cinco patriarcados da antiguidade, chamados de Pentarquia.

História[editar | editar código-fonte]

A Igreja de Alexandria é tradicionalmente concebida como tendo sido fundada por São Marcos Evangelista por volta do ano 42 d.C., rapidamente se tornando uma força local relevante.[4] Seus primeiros seguidores eram principalmente judeus de Alexandria, tais como Teófilo, a quem Lucas dirige seu evangelho e os Atos dos Apóstolos, mas a igreja se espalhou a ponto de ter 108 diferentes bispos em seu auge, tornando-se a segunda igreja na ordem da Pentarquia e gerando personalidades tão diversas como Santo Atanásio e Ário, centrais para a controvérsia ariana.[5]

Em 451, o Concílio de Calcedônia condenou o monofisismo, gerando cisma na Igreja de Alexandria liderado por Dióscoro, que, apesar de não professar a doutrina monofisita de Êutiques, rejeitava a resolução calcedoniana, progressivamente gerando a formação separada da Igreja Copta em meio a controvérsias políticas.[6][7] Desde então, a porção da Igreja de Alexandria fiel à cristologia calcedoniana tem sido, do ponto de vista litúrgico, falante do grego, sendo que a maioria dos nativos (ou seja, os falantes da língua copta) e seus descendentes se tornando parte da Igreja Copta, ortodoxa oriental. Após a conquista árabe do Norte da África no século VII d.C., este grupo que já era pequeno continuou assim por muitos séculos.[3]

Hoje em dia, por volta de 250 mil cristãos gregos constituem o Patriarcado de Alexandria no Egito, o maior número desde o Império Romano, em geral descendentes de sírios e libaneses estabelecidos no país no século XIX.[1] A Igreja ainda se expandiu extensamente ao longo do Leste Africano através de atividade missionária a partir de meados do século XX, principalmente em Uganda, onde comunidades cismáticas de influência ortodoxa foram recebidas pela Igreja em 1946, e Quênia, que passou por um processo semelhante, tendo segundo pesquisa de 2010 mais de 650 mil membros. Populações expressivas também se estabeleceram na Tanzânia, Zimbábue e Zâmbia.[8][9]

Referências

  1. a b «Egypt Religions & Peoples from "LOOKLEX Encyclopedia"». LookLex Ltd. 30 de setembro de 2008 
  2. História da Igreja Greco-Melquita Católica
  3. a b «Ιστορικά στοιχεία». Site Oficial do Patriarcado Ortodoxo de Alexandria e Toda a África (em grego). Consultado em 6 de março de 2018. 
  4. Eusébio de Cesareia, História Eclesiástica, Livro II, Capítulo XVI.
  5. Woods, J. (1907). "The Church of Alexandria." Enciclopédia Católica. Nova Iorque: Robert Appleton Company. Acessado em 6 de março de 2018.
  6. Greek Orthodox Archdiocese of America: Fourth Ecumenical Council
  7. Got Questions? "What is Coptic Christianity, and what do Coptic Christians believe?"
  8. Tillyrides, Makarios. «The Origin of Orthodoxy in East Africa». Orthodox Research Institute (em inglês). Consultado em 6 de março de 2018. 
  9. «Table: Christian Population in Numbers by Country». Pew Research Center (em inglês). Consultado em 6 de março de 2018. 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Igreja Ortodoxa Grega de Alexandria

Ligações externas[editar | editar código-fonte]