Miostatina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
editar
Miostatina
Identificadores
Símbolos MSTN; GDF8; MSLHP
IDs externos OMIM: 601788 MGI95691 HomoloGene3850 GeneCards: MSTN Gene
Ortólogos
Espécies Humano Rato
Entrez 2660 17700
Ensembl ENSG00000138379 ENSMUSG00000026100
UniProt O14793 O08689
RefSeq (mRNA) NM_005259.2 NM_010834.2
RefSeq (proteína) NP_005250.1 NP_034964.1
Localização (UCSC) Chr 2:
190.92 – 190.93 Mb
Chr 1:
53.06 – 53.07 Mb
Busca PubMed [1] [2]

A miostatina (formalmente conhecida como factor 8 de crescimento e diferenciação) é um fator de crescimento que limita o crescimento do tecido muscular, por exemplo concentrações elevadas de miostatina em um indivíduo provocam uma diminuição no desenvolvimento normal dos músculos.[1]

A proteína miostatina é produzida em células do músculo esquelético, circula no sangue e actua no tecido muscular, parecendo atrasar o desenvolvimento das "células-mãe" musculares. O mecanismo exato segue sendo desconhecido.

Miostatina e o gene associado foram descobertos 1997 pelos genetistas McPherron e Se-Jin Lee, que também produziram uma estirpe do mutante em ratos com a carência do gene e eram em torno de duas vezes mais fortes que ratos normais. [3] [2][3]

O gene foi sequenciado em humanos, ratos, peixes, zebras e vários outro animais,[4] demonstrando poucas diferenças entre espécies. Lee descobriu em 1997 que a raça bovina "Azul Belga Forte" e uma camada de Piedmontese tinham o gene da Miostatina defeituoso. Essas linhagens se produziram através de criação de gado.(fonte: http://www.pharyngula.org)

Em 2001, Lee cria ratos com o gene da Miostatina intacto e uma grande massa muscular inserindo mutações que aumentaram a produção de substâncias bloqueadoras da Miostattina.[5][6][7]

Em 2004, um sujeito alemão foi diagnosticado com uma mutação em ambas as cópias do gene que produz a Miostatina, fazendo-o consideravelmente mais forte que seus pais. Sua mãe possuia mutação em uma das cópias do gene.[8][9][10][11][12][13] Mais recentemente, um garoto americano nascido em 2005 foi diagnosticado com a mesma condição.[14]

Investigações adicionais na Miostatina e o gene da miostatina pode conduzir a terapias para a distrofia muscular. A ideia é introduzir substâncias que bloqueiam a miostatina. Em 2002, investigadores da Universidade da Pensilvânia demonstraram que com um anticorpo monocloral específico para a Miostatina melhora a condição de ratos com distrofia muscular, provavelmente mediante o bloqueio da ação da Miostatina.

Em 2005, Lee demonstrou que com um tratamento de duas semanas a ratos normais com o receptor da activita tipo 11B solúvel, uma molécula que se une normalmente as células e a Miostatina, conduz a um aumento notável na massa muscular (até 60%). Se pensa que a união da Miostatina com o receptor solúvel impede que ela se una ao receptor da superfície celular.

Continua confuso se um tratamento longo da distrofia muscular com os inibidores da Miostatina é benéfico: O esgotamento das células-mãe musculares poderia piorar a doença a longo prazo.

Até 2005, não existem remédios no mercado para os seres humanos, mas foi desenvolvido um anticorpo geneticamente modificado para reconhecer a Miostatina e neutralizá-la pela companhia farmacêutica de Nova Jersey Wyeth. O inibidor se chama MYO-029 e está atualmente em fase experimental em humanos. Alguns atletas, impacientes para conseguir esses medicamentos, procuram pela internet, onde estão vendendo bloqueadores de Miostatina falsos.

A Miostatina é um membro da superfamília de proteínas TGF-beta. A Miostatina humana consiste em duas subunidades idênticas, cada uma consistindo de 110 aminoácidos. Seu peso molecular total é de 25.0 kDa. Pode ser produzido por "E. coli" modificada geneticamente e esta disponível para venda. A Universidade Johns Hopkins possui as patentes da miostatina.

A Miostatina, assim que for disponibilizada para humanos, poderá criar uma legião de "monstros" facilmente.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Garikipati DK, Gahr SA, Roalson EH, Rodgers BD. "Characterization of rainbow trout myostatin-2 genes (rtMSTN-2a and -2b): genomic organization, differential expression, and pseudogenization." Endocrinology 2007;148(5):2106-15. PMID 17289851.
  2. McPherron AC, Lawler AM, Lee SJ. Regulation of skeletal muscle mass in mice by a new TGF-beta superfamily member. Nature 1997;387:83-90. PMID 9139826.
  3. http://www.mesomorphosis.com
  4. Rodgers e Weber. "A conservação sequencial entre a miostatina ortológica dos peixes e a caracterização de dois clones cDNA adicionais de Morone saxatilis e Morone Americana" Comp Biochem Physiol B Biochem Mol Biol 2001;129(2-3):597-603. PMID 11399495.
  5. Fotos com dupla musculatura por Miostatina inibida en touros Azul Belga
  6. Kambadur R, Sharma M, Smith T, Bass J (1997). «Mutaciones en miostatina (GDF8) de ganado doble musculados Azul Belga y Piedmontese». Genome Res [S.l.: s.n.] 7 (9): 910–6. PMID 9314496. 
  7. McPherron A, Lee S (1997). «Doble musculación en ganado debido a mutaciones en el gene miostatina». Proc Natl Acad Sci U S A [S.l.: s.n.] 94 (23): 12457–61. PMID 9356471. 
  8. cevgenetica: Mutación Génica hace a sujeto alemán extra muscularmente fuerte
  9. Gina Kolota: Un niño muy muscular ofrece esperanza contra enfermedades, The New York Times, June 24, 2004. (requiere login)
  10. Mutación genética hace un superboy
  11. Pibe Músculo
  12. One Strong Tyke: Gene mutation in muscular boy may hold disease clues
  13. Schuelke M, Wagner K, Stolz L, Hübner C, Riebel T, Kömen W, Braun T, Tobin J, Lee S (2004). «Mutación en miostatina asociada con hipertrofia muscular en un niño». N Engl J Med [S.l.: s.n.] 350 (26): 2682–8. PMID 15215484. 
  14. "Rare condition gives toddler super strength"

Ligações externas[editar | editar código-fonte]