Moderação (teologia)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

A moderação na teologia evangélica é uma posição moderada que não é conservador ou liberal.

Origem[editar | editar código-fonte]

A moderação na teologia evangélica está relacionada com a sabedoria espiritual que é abordada na Epístola de Tiago no capítulo 3, versículo 17. [1]

Características[editar | editar código-fonte]

Apresenta-se como estando em sintonia com a esperança, diversidade cultural e colaboração criativa, não sendo conservador ou liberal. [2]

História[editar | editar código-fonte]

A teologia evangélica moderada apareceu na década de 1940 nos Estados Unidos. [3] No estudo da bíblia isto significa ter conhecimento de certas disciplinas como hermenêutica, exegese, epistemologia e apologética. [4][5] Isto foi manifestado por uma maior presença de teólogos moderados e, portanto, posições teológicas mais moderadas nas igrejas evangélicas. [6][7]

Notas e referências[editar | editar código-fonte]

  1. David P. Gushee, A New Evangelical Manifesto: A Kingdom Vision for the Common Good, Chalice Press, USA, 2012, p. 8
  2. David P. Gushee, A New Evangelical Manifesto: A Kingdom Vision for the Common Good, Chalice Press, USA, 2012, p. 8
  3. Robert H. Krapohl, Charles H. Lippy, The Evangelicals: A Historical, Thematic, and Biographical Guide, Greenwood Publishing Group, USA, 1999, p. 197
  4. George Demetrion, In Quest of a Vital Protestant Center: An Ecumenical Evangelical Perspective, Wipf and Stock Publishers, USA, 2014, p. 128
  5. Roger E. Olson, The Westminster Handbook to Evangelical Theology, Westminster John Knox Press, USA, 2004, p. 49
  6. James Leo Garrett, Baptist Theology: A Four-century Study, Mercer University Press, USA, 2009, p. 45
  7. Robert Warner, Reinventing English Evangelicalism, 1966-2001: A Theological and Sociological Study, Wipf and Stock Publishers, USA, 2007, p. 229