Monte Galinheiro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox important.svg
Foram assinalados vários aspectos a serem melhorados nesta página ou se(c)ção:
Monte Galinheiro desde Víncios.
Petróglifo de Auga da Laxe.
Vista desde o cume do Galinheiro.

O Monte Galinheiro situa-se entre os concelhos galegos de Vigo e Gondomar, cujo cume na paróquia gondomarense de Víncios a uma altitude de 711 metros. Integra-se na serra do Galinheiro, da qual também faz parte o parque natural do Monte Aloia.

Cada segundo domingo de Julho acolhe o curro do Galinheiro ou de Víncios, no lugar de Auga da Laxe.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

O topónimo "Galinheiro", habitual na Galiza, pode provir do termo celta *kal(l)- (de onde também provém Gallaecia, termo que evoluiu no actual Galiza), com o significado de "rocha", "penedo".[1]

Geologia[editar | editar código-fonte]

A origem do monte remonta-se à orogênese alpina acontecida durante o Cenozoico, no período Terciario. A ladeira norte do monte, correspondente à paróquia viguesa de Zamáns é rica em gneis, fazendo parte do complexo ofiolítico denominado Complexo de Malpica-Tui. Também são numerosas as intercalações de anfibolitas, verdes e obscuras, aparecendo habitualmente os gneis sulcados de filões de quartzo com abundante magnetite.

Os lados sul e oeste compõem o chamado contacto sul do gneis Galinheiro, formado por rochas compostas por quartzo, moscovita e turmalina preta e, na zona mais alta deste contacto, por xistos com mica e turmalina, ademais de uma potente pegmatita explorada antigamente para a extracção do feldespato.

Arqueologia[editar | editar código-fonte]

Grande parte da fama do monte deve-se ao complexo arqueológico dos petróglifos de Auga da Laxe. Trata-se de umas representações de mais de 25 armas, entre as que atopamos espadas curtas, cutelos e alabardas, datadas no Calcolítico (entre o III e o II milénio a. C.).

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Barciela, P. e Rey, E. (2000), Xacementos arqueolóxicos de Galicia, Edicións Xerais.
  • Mapa Topográfico Nacional de España (2002), Instituto Geográfico Nacional, Ministerio de Fomento.

Referências

  1. http://penadacataverna.blogspot.com.es/2014/11/a-moura-dos-gallos.html Estudio de etimología de "Gallos", "Galiñeiro" y similares

Ligações externas[editar | editar código-fonte]