Myra Hess

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Myra Hess
Nascimento 25 de fevereiro de 1890
Hampstead
Morte 25 de novembro de 1965 (75 anos)
23, Cavendish Close Nw8
Cidadania Reino Unido
Alma mater
Ocupação pianista, professor de música
Prêmios
  • Dama Comandante da Ordem do Império Britânico (1941)
  • Medalha de ouro da Royal Philharmonic Society (1942)
  • Comandante da Ordem do Império Britânico (1936)
Causa da morte enfarte agudo do miocárdio

Dame Julia Myra Hess, DBE (Londres, 25 de fevereiro de 1890 - Londres, 25 de novembro de 1965) foi uma pianista britânica.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Julia Myra Hess nasceu a 25 de fevereiro de 1890 em Londres. Iniciou os seus estudos de piano aos 5 anos e dois anos depois entrou para a Guildhall School of Music and Drama, onde se formou como medalha de ouro. Mais tarde, foi aluna de Tobias Matthay na Royal Academy of Music. Estreou-se com grande êxito em 1907 com o "Concerto para piano n.º 4" de Beethoven[2], sob a direção de Thomas Beecham. A partir daí esteve especialmente ligada a este trabalho, que tocou várias vezes ao longo da sua carreira. Iniciou então uma digressão pelo Reino Unido, Países Baixos e França. Estreou-se nos Estados Unidos em 24 de janeiro de 1922 em Nova Iorque e não só realizou trabalhos a solo, como também tocou acompanhada por uma orquestra.

O seu grande êxito aconteceu durante a Segunda Guerra Mundial, quando, com todas as salas de concertos fechadas, organizou uma série de concertos a meio da manhã na National Gallery, em Londres. Estes concertos foram organizados de 1939 a 1946 e Myra Hess frequentemente os fazia sem qualquer remuneração financeira. Por esta contribuição para manter a moral do povo de Londres, foi nomeada comandante da Ordem do Império Britânico em 1941. Ao todo, Hess apresentou 1968 concertos ouvidos por 824.152 pessoas, convidando muitos artistas, e acompanhando em particular Elena Gerhardt.

Trabalhou num extenso repertório e estreou várias obras. No final da sua carreira no piano, focou-se em peças dos períodos clássico e barroco. As suas interpretações de concertos de Mozart, Beethoven, Bach ou Schumann ficaram famosas, mas tinha um vasto repertório que ia de Domenico Scarlatti até obras contemporâneas.

Apresentou a estreia da "Sonata para Piano" e "Concerto para Piano", de Howard Ferguson. Também interpretou uma série de trabalhos de música de câmara e realizou um dueto com Irene Scharrer. Fez um arranjo bem conhecido para o coral "Jesus bleibet meine Freude" de Bach " Jesus bleibet meine Freude" da cantata nº 147 "Herz und Mund und Tat und Leben".

Myra Hess deu o seu último concerto público em 1960 - o concerto de Mozart em A major KV488 - antes de ter o seu primeiro ataque cardíaco1. Em 25 de novembro de 1965, morreu de ataque cardíaco aos 75 anos, na sua casa em Londres. Uma placa azul comemora-o na Estrada Wildwood, 48, no subúrbio de Hampstead Garden.

A sua discografia contém as sonatas opus 109 e 110 de Beethoven, o Concerto, o Carnaval e Estudos Sinfónicos de Schumann[1].

Referências

Biografia[editar | editar código-fonte]

  • (em inglês) D. Lassimonne e H. Ferguson (eds.), Myra Hess by her Friends, Londres, 1966
  • (em inglês) M.C. McKenna, Myra Hess, Londres, 1976
  • Marc Vignal, Dictionnaire de la musique, Paris, Larousse, 2005, 1516 p. (ISBN 2-03-505545-8, OCLC 896013420), p. 467.
  • Bryce Morrison, The New Grove Dictionary of Music and Musicians (ed. Stanley Sadie): Hess, Dame Myra, Londres, Macmillan, 2.ª ed, 29 vols. 2001, 25 000 p. (ISBN 9780195170672)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]