Nelly Novaes Coelho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Nelly Novaes Coelho (São Paulo, 17 de maio de 1922 - 29 de novembro de 2017) foi uma ensaísta e crítica literária brasileira[1].

Sobrinha de Guiomar Novaes, queria ser pianista e estudou no Conservatório Dramático e Musical de São Paulo. Chegou a conseguir uma bolsa para aprofundar seu estudo de piano na Itália, mas desistiu da viagem por causa da Segunda Guerra Mundial. Em 1955, iniciou o curso de Letras na Universidade de São Paulo. Graduada em 1959, lecionou Teoria da Literatura na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Marília de 1961 a 1972. Entrou para a USP em 1981, como professora-adjunta. Lecionou literatura infantil até ser aposentada compulsoriamente, em 1992[2].

Obras publicadas[editar | editar código-fonte]

  • 1964 - Tempo, solidão e morte
  • 1966 - O ensino da literatura
  • 1974 - Literatura e linguagem - 16.º Prêmio Jabuti
  • 1981 - Literatura infantil – Teoria, análise, didática
  • 1983 - Dicionário crítico da literatura infantil/juvenil
  • 1984 - Panorama histórico da literatura infantil/juvenil
  • 1987 - O conto de fadas – símbolos, mitos, arquétipos
  • 1993 - A literatura feminina no Brasil contemporâneo
  • 2000 - Literatura: arte, conhecimento e vida
  • 2002/2011 - Dicionário crítico de escritoras brasileiras
  • 2013 - Escritores brasileiros do século XX: um testamento crítico
  • 2015 -Tecendo literatura entre vozes e olhares [3]

Referências

  1. Morre Nelly Novaes Coelho. IstoÉ, 28 de dezembro de 2017
  2. Nelly Novaes Coelho. Enciclopédia Itaú Cultural
  3. CUNHA, Maria Zilda; LOPES, Cristiano Camilo. Nelly Novaes Coelho: uma vida dedicada à literatura. Linha D'Água, São Paulo, v. 30, n. 2, p. 9-16, oct. 2017. ISSN 2236-4242