O Cântico dos Cânticos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
O Cântico dos Cânticos
Capa de Cântico dos Cânticos de 1878
Autor(es) Joaquim José Coelho de Carvalho
Idioma português
País Portugal Portugal
Editora Imprensa da Universidade de Coimbra

O Cântico dos Cânticos é um poema dramático escrito por Joaquim José Coelho de Carvalho em 1878. Trata-se de um texto original cujo nome se relaciona com o livro da Bíblia com o mesmo nome, pertencente ao Antigo Testamento e também conhecido por Cântico de Salomão.

Interpretação[editar | editar código-fonte]

O poema dramático tem poucas personagens, sendo estas: Salomão, Sulamita, pastor, Sábio, mulheres do Harem e coro. Pode-se estabelecer um paralelismo com o livro da Bíblia, não só pela referência a dois indivíduos com o mesmo nome, mas também pelo livro bíblico celebrar o amor sensual e erótico e a obra de Coelho de Carvalho retratar o amor que um homem tem por uma mulher que não o ama. A obra tem um caráter essencialmente romântico, sendo este atingido com o recurso a adjetivações, hipérbatos e uma fluída versificação de decassílabos brancos.

A obra retrata as paixões sensuais de Salomão e de Sulamita, em que esta apaixona-se por um pastor da sua aldeia, a quem se junta no retorno à terra natal, não retribuindo o amor de Salomão. À criação desta fábula está subjacente uma reivindicação burguesa e um certo moralismo laico sintetizados pela última fala do Sábio:

"O amor é mais altivo de que a morte;

E a paixão inflexível como o inferno;

Fachos do coração feitos das chammas,

Que ata Jehovah á flecha dos seus raios!

Não poderão as águas em torrentes

Apagal-o jámais, e os grandes rios

Submergil-o nas vagas murmurosas.

E, se um homem vaidoso, algumas vezes,

Busca comprar o amor com as riquezas,

Recolhe a confusão, da flor da vida

Fructo cheio de cinzas e discórdias."

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Aranha, B. (1885). Diccionario Bibliographico Portuguez. Lisboa, Portugal: Publicações Europa- América, Lda.