O Flautista de Hamelin

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
A mais antiga figura ilustando o conto

O Flautista de Hamelin é um conto folclórico, reescrito pela primeira vez pelos Irmãos Grimm e que narra um desastre incomum acontecido na cidade de Hamelin, na Alemanha, em 26 de junho de 1284.

A história[editar | editar código-fonte]

Em 1282, a cidade de Hamelin estava sofrendo com uma infestação de ratos. Um dia, chega à cidade um homem que reivindica ser um "caçador de ratos" dizendo ter a solução para o problema. Prometeram-lhe um bom pagamento em troca dos ratos - uma moeda pela cabeça de cada um. O homem aceitou o acordo, pegou uma flauta e hipnotizou os ratos, afogando-os no Rio Weser.

O flautista de Hamelin (ilustração de Kate Greenaway)

Apesar de obter sucesso, o povo da cidade abjurou a promessa feita e recusou-se a pagar o "caçador de ratos", afirmando que ele não havia apresentado as cabeças. O homem deixou a cidade, mas retornou várias semanas depois e, enquanto os habitantes estavam na igreja, tocou novamente sua flauta, atraindo desta vez as crianças de Hamelin. Cento e trinta meninos e meninas seguiram-no para fora da cidade, onde foram enfeitiçados e trancados em uma caverna. Na cidade, só ficaram opulentos habitantes e repletos celeiros e bem cheias despensas, protegidas por sólidas muralhas e um imenso manto de silêncio e tristeza.

E foi isso que se sucedeu há muitos, muitos anos, na deserta e vazia cidade de Hamelin, onde, por mais que se procure, nunca se encontra nem um rato, nem uma criança.

Na versão original, que surgiu provavelmente na Idade Média, nos territórios que formariam a Alemanha, o final é diferente: após levar o calote, o flautista atrai as crianças para um rio, no qual elas morrem afogadas. Apenas três crianças sobrevivem: uma cega, que não consegue seguir o flautista e se perde no caminho; uma surda, que não consegue ouvir a flauta, e uma deficiente, que usa muletas e cai no caminho.

Há várias teorias sobre o que o flautista de Hamelin simbolizaria nas narrativas orais antes de virar uma história para crianças. Para alguns, ele seria a representação de um serial killer, para outros uma metáfora para as epidemias que dizimavam populações, como a peste, e para muitos remetia ao processo de migração para colonizar outras regiões da Europa.

Televisão, Cinema, Teatro e musica[editar | editar código-fonte]

Walter Lantz fez uma versão, em que o prefeito se recusa a pagar o tocador de trombone que prendeu os ratos e o expulsa. Por vingança, o tocador faz todas as pessoas da cidade entrarem num barco e irem embora, deixando o prefeito à mercê dos ratos, que ele libertou.

O conto foi retratado em uma série televisiva chamada Teatro dos Contos de Fadas; título original em inglês Faerie Tale Theatre, em que cada episódio encenava um conto de fadas diferente. Criada e produzida por Shelley Duvall, a série teve o início da produção em 1982 e se encerrou em 1987. Foi estrelado e narrado pelo ator Eric Idle e o episódio do conto foi exibido pela primeira vez em 5 de abril de 1985 na TV norte-americana. A série foi exibida pela TV Cultura de São Paulo nos anos 90 e é reprisada de tempos em tempos.

O Flautista de Hamelin também foi retratado pela Trip Teatro de Animação - Companhia de Rio do Sul (SC). Nessa versão, dois artistas medievais saem pelas ruas empurrando uma pequena carroça, que aos poucos vai se transformando na cidade de Hamelin. Ela conta a clássica história do Flautista que livra a cidade de uma peste de ratos e ressalta a importância de se cumprir os tratos feitos. O espetáculo é resultado de uma parceria com a companhia espanhola "Los Titiriteros de Binéfar" e foi patrocinado pela Funarte / MinC por meio do prêmio Edital Myriam Muniz/ 2007. www.tripteatro.com.br

O conto foi representado também pelo cartoon Tom & Jerry. Em uma aldeia Jerry interpreta um flautista que ao ver outros ratos sendo acometidos por um "ataque de coceira" os atrai a um rio, lhes dando a cura para essa agonia.

Em 2010, no filme Shrek para Sempre, o Flautista de Hamelin aparece como um personagem que foi contratado pelo vilão principal da trama, o qual quer se ver livre dos ogros. A marca registrada dos filmes da saga "Shrek" é parodiar personagens de contos de fada e do folclore universal.

A banda norte-americana de thrash metal Megadeth faz menção ao flautista em seu single Symphony of Destrution.

Recentemente o conto teve aparecimento no anime Mondaiji-tachi ga Isekai kara Kuru Sou Desu yo e na série de TV Once Upon a Time, onde o personagem Peter Pan e o personagem do flautista são a mesma pessoa.

O conto em dança[editar | editar código-fonte]

  • DVD O Flautista (2006) da CeDeCe - Companhia de Dança Contemporânea.

A Lenda do Caçador de Ratos

Ícone de esboço Este artigo sobre literatura é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

http://pessoas.hsw.uol.com.br/10-versoes-contos-de-fadas1.htm