O Mundo É um Moinho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de O Mundo é um Moinho)
Ir para: navegação, pesquisa
"O Mundo é um Moinho"
Canção de Cartola
do álbum Cartola II
Lançamento 1974 (41–42 anos)
Formato(s) Disco de Viníl de 7 Polegadas
Gravação 1974
Gênero(s) Brasileira, MPB, Samba
Duração 3:20
Gravadora(s) Discos Marcus Pereira
Composição Cartola
Faixas de 'Cartola II'
Último
-
"Minha"
Próximo

O Mundo é um Moinho é uma canção composta pelo cantor e compositor de samba Cartola e gravada por ele em 1976, tendo sido gravada anos depois por Cazuza, Ney Matogrosso e Beth Carvalho.

Analise[editar | editar código-fonte]

Reza a lenda que Cartola teria feito essa música para sua enteada, filha de Dona Zica, que teria o propósito de sair de casa para se prostituir. Ao ouvir os versos escritos pelo mestre, percebe-se o quão plausível pode ser essa versão da lenda. Contudo, há quem defenda também que a letra de Cartola seja mesmo para a enteada, mas motivada por uma decepção amorosa.

Muitos cantores, como o próprio Cazuza, cantam essa música, na seguinte parte: "preste atenção, o mundo é um moinho" com a frase seguinte: "vai triturar teus sonhos tão mesquinhos", ou seja, os sonhos são mesquinhos. Porém, na versão original de Cartola e na cantada por Ney Matogrosso, o correto é "mesquinho", no singular, para designar que o mundo é mesquinho e não sonhos da pessoa para qual a música é cantada.

Regravações[editar | editar código-fonte]

A música, ao longo das décadas, foi regravada por diversos intérpretes da música brasileira, como Ney Matogrosso, Beth Carvalho, Cazuza, entre outros.

A letra[editar | editar código-fonte]

Ainda é cedo amor

Mal começaste a conhecer a vida

Já anuncias a hora de partida

Sem saber mesmo o rumo que irás tomar

Preste atenção, querida

Embora eu saiba que estás resolvida

Em cada esquina cai um pouco a tua vida

Em pouco tempo não serás mais o que és

Ouça-me bem, amor

Preste atenção, o mundo é um moinho

Vai triturar teus sonhos tão mesquinho

Vai reduzir as ilusões a pó

Preste atenção, querida

De cada amor tu herdarás só o cinismo

Quando notares estás à beira do abismo

Abismo que cavaste com os teus pés

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre música é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.